[PR] Gain and Get More Likes and Followers on Instagram.

vailapoa vailapoa

183 posts   881 followers   1015 followings

#vailaPOA  Um guia de escolhas conscientes, justas e honestas nas cidades. Criado pela Contente. Em Porto Alegre, tem a colaboração da @luanasilva_arq.

http://contente.vc/

Tu conheces o “Museu de Percurso do Negro” aqui de Porto Alegre? Quando falamos em um museu, sempre vem à mente a ideia de uma sede com apenas um endereço de referência. Neste caso, seu endereço é um território a ser percorrido. Seu acervo é composto por obras de arte distribuídas ao longo de lugares da cidade que são marcos para a memória negra e que foram sendo ao longo do tempo apagados do contexto da nossa formação étnica. O projeto se constituiu através da colaboração de diversas entidades do movimento negro, reunidas pelo Centro de Referência Afro-Brasileiro, e segue ainda em movimento, tendo 4 obras concluídas. Olha só (as fotos estão nesta ordem também):
Etapa I - Tambor, escultura de Gutê, Leandro Machado, Maria Elaine Rodrigues, Mattos, Pelópidas Thebano e Xaplin. Concebida coletivamente, nasceu dos debates entre artistas e griôs (guardiões da memória), materializando os anseios e as lutas do povo negro através do tambor, que percute e repercute tudo isso.
Etapa II - Pegada Africana, de Vinicius Vieira. Reforça a ideia de percurso, de caminhada.
Etapa III - Bará do Mercado, com concepção de Leandro Machado e Pelópidas Thebano, execução de Leonardo Posenato, Vilmar Santos e Vinicius Vieira, e idealização de Mãe Norinha de Oxalá. Marca a presença da tradição centenária que vem consolidando a força das religiões afro-brasileiras na cidade.
Etapa IV - Painel Afrobrasileiro, concebido por Pelópidas Thebano e executado por Vinicius Vieira. Retrata um pouco da vivência dos negros e negras que circulavam e circulam pelo Centro de Porto Alegre, invisibilizados pelo racismo.
O território do museu ainda abrange a Esquina Democrática - Esquina do Zaire (av. Borges de Medeiros com Rua da Praia), a Igreja Nossa Senhora das Dores e o Cais do Porto. #vailaPOA #vailaPOACentroHistórico

Vai lá:
Tambor: Praça Brigadeiro Sampaio
Pegada Africana: Praça da Alfândega
Bará do Mercado: Mercado Público
Painel Afrobrasileiro: Muro do Chalé da Praça XV, no Largo Glênio Peres.
Saiba mais em: bit.ly/museudepercursodonegro

Partindo das vivências da @tanise_medeiros e do @mau_dsd, nossos colaboradores dessa semana, partilhamos um pouco do projeto “Territórios Negros: Patrimônios Afro-brasileiros em Porto Alegre”. Esse projeto foi criado em 2009, a partir da parceria entre a Secretaria Municipal de Educação, Carris e PROCEMPA e seu principal objetivo é compartilhar o conhecimento sobre a cultura afro-brasileira através de um roteiro onde o público entra em contato direto com um ambiente histórico, o que oportuniza um diálogo de conscientização e reconhecimento dos fatos. Hoje, em função dos diversos cortes e desmontes que a cidade sofre, o projeto passa por um grande desafio, que é continuar atendendo estudantes, professores e comunidades de Porto Alegre e outras regiões. Abaixo e nas fotos, o roteiro original do projeto. Alguns desses lugares ainda aparecerão por aqui durante essa semana!
1. Largo da Forca (praça Brigadeiro Sampaio)
2. Pelourinho (Igreja Nossa Senhora das Dores)
3. Praça da Quitanda (Praça da Alfândega)
4. Mercado Público e Largo Glênio Peres
5. Campo da Redenção (Parque Farroupilha)
6. Colônia Africana (bairros Bom Fim e Rio Branco)
7. Ilhota (perto do Centro Municipal de Cultura e da av. Érico Veríssimo)
8. Quilombo do Areal da Baronesa (tv. Luís Guaranha)
9. Largo Zumbi dos Palmares
Nosso convite: quando tu passares novamente por algum desses lugares, lembra que eles são sagrados! Lembra que foram lugares de muito sofrimento e são ainda lugares de resistência! Lembra de ter um novo olhar para esses locais que trazem a história de negros e negras tão invisibilizados e tenta colaborar para que a cidade seja reconhecedora de sua diversidade. #vailaPOA #vailaPOAconvidados

Hoje (20/11) é o Dia da Consciência Negra e como um dos princípios do #vailá é “reencontrar as nossas raízes”, queremos reverenciar a ancestralidade negra e suas lutas em Porto Alegre. Durante esta semana vamos compartilhar alguns locais representativos da presença negra na cidade e para isso contaremos com a colaboração de Tanise Medeiros (@tanise_medeiros) e Maurício da Silva Dorneles (@mau_dsd). Tanise é Historiadora, mestranda em Educação (FACED/UFRGS), integrante do grupo PET Conexões Políticas Públicas de Juventude, onde realiza oficinas com jovens sobre Ações Afirmativas, e já trabalhou no Projeto Territórios Negros. Maurício é estudante de licenciatura em História na UFRGS. Atualmente é Bolsista do Projeto de Extensão Territórios Negros: Patrimônios Afro-brasileiros em Porto Alegre, vinculado ao Laboratório de Ensino de História - LHISTE e à Faculdade de Educação - FACED, e pesquisador junto ao Grupo Canela Preta.
📸: @ufrgsnoticias (foto coletiva de alunos e funcionários negros da UFRGS no dia de hoje: representatividade importa sim!). #vailaPOA #vilaPOAconvidados #nenhumcotistaamenos

Re-significar as nossas relações com Porto Alegre foi e ainda é a minha maior motivação para colaborar com o #vailaPOA, por isso, cada vez que surge um projeto que aborda esse tema eu (@luanasilva_arq) fico super feliz! Assim, compartilho que amanhã (sábado, 18/11) acontecerá o lançamento do “Mapa Afetivo de Porto Alegre: a cidade que nos habita”, que é um projeto desenvolvido pelos alunos de Desenho do Atelier Livre e pela Biblioteca Josué Guimarães.
Diversos foram os questionamentos feitos ao grupo que se propôs a mapear diferentes pontos da cidade a partir da relação de seus participantes com lugares e trajetos que lhes são significativos e da observação do dia-a-dia. Dá uma olhada! Bora tentar responder também? 😉
* Quantas cidades há dentro de uma mesma cidade?
* Como cada um de nós circula por elas?
* Como as geografias da cidade afetam e compõem nosso cotidiano?
* Quais são as atmosferas emocionais que acompanham nossa relação com os diferentes lugares de Porto Alegre?
* Como desenhar essa cidade singular que nos habita?
Desta forma, em 2016, foi iniciado um percurso de conversas, leituras e caminhadas, com a elaboração de registros em desenho, pintura, fotografia, vídeo, bordado e textos, onde o conjunto destes trabalhos resultou em um retrato da cidade a partir do olhar/sentir de seus habitantes. O núcleo de criação é composto por Alexandre Arend, Ana Bandeira, Anelise Ferreira, André da Rocha Ferreira, Juliana Escaleira, Marcelle Lucena, Nara Sonberg, Silvia Marcuzzo, Vera Castilhos e Vicente Marques. As ilustrações são de Vicente Marques. Este evento integra a programação do 31º Festival de Arte da Cidade de Porto Alegre, que vai de 16 a 24/11. #vailaPOA #vailaPOAAzenha

Vai lá: Lançamento do “Mapa Afetivo de Porto Alegre: a cidade que nos habita” (Biblioteca Pública Municipal Josué Guimarães - Centro Municipal de Cultura, Arte e Lazer Lupicínio Rodrigues: av. Érico Veríssimo, 307, Azenha). Sábado (18/11), às 16h.

“Deixa o tambor bater
Dentro do teu coração…”
Daqui a pouquinho o Carnaval está aí e os blocos já estão retomando seus ensaios para encher de cor e alegria cidade. O Bloco da Laje, por exemplo, chega ao seu sétimo carnaval!
“São 7 anos de um sonho coletivo, espaço-pulmão para diversos grupos artísticos, espaço-expressão para um grande grupo de pessoas que só quer brincar a vida — se encontrar nas ruas da cidade para trocar experiência e afeto, espaço-político para olhar no olho e refletir sobre o que estamos/estão fazendo com a nossa cidade, com as pessoas, com a natureza. Para todas as facetas desse organismo, destacamos o trabalho do despertar para o essencial, da sensibilização ao universo que nos cerca e a aproximação dos corações para que nossas escolhas e movimentos sejam certeiros, fortes, transformadores!”, conta a Laje em suas redes. E assim lança mais uma vez um financiamento coletivo para colocar novamente o bloquinho na rua.
O @blocodalaje é um coletivo completamente independente, que busca várias frentes de ação (oficinas, festas, shows…) para se manter vivo, mesmo em tempos de tantos cortes, desmontes e falta de incentivo à cultura. Quer seguir ocupando e colorindo as ruas de Porto Alegre, resgatando a raiz das celebrações populares! Os ensaios abertos já estão acontecendo e a saída já tem data: 28/01/2018! Vai lá: “deeeeixa brincar”! #vailaPOA #vailaPOAnoCarnaval

Vai lá: www.catarse.me/blocodalaje2018 | @blocodalaje
Ensaios abertos: geralmente aos domingos, por volta das 10h, na Redenção (Recanto Africano)

A Loop é uma plataforma que facilita o acesso ao uso de bicicletas. Através de um aplicativo, ela conecta pessoas que tem alguma bicicleta ociosa em casa com pessoas que não tem bicicleta, mas que gostariam de usar uma. No ano passado, foi feita uma campanha de crowdfunding que deu o pontapé inicial para colocar esse projeto em prática. E no próximo domingo (19/11) acontecerá então o lançamento oficial da Loop aqui na cidade, com diversas atividades como show ao vivo, foodbikes, aula de yoga ao ar livre, além da entrega das recompensas dos apoiadores do crowdfunding. Tudo isso para celebrar essa conquista, colaborando com a sustentabilidade, inovação e com a cultura de compartilhamento em Porto Alegre. Vida longa, @voudeloop! #vailaPOA #vailaPOAMoinhos #believemission2

Vai lá: Lançamento Loop Bike Sharing (Parcão: rua Comendador Caminha, s/n, Moinhos de Vento). Domingo (19/11), das 14h às 20h. Entrada franca.
Saiba mais em: bit.ly/lançamentoloop

O uso de PANC’S (plantas alimentícias não convencionais) tem sido bastante difundido nos últimos tempos, principalmente por aquelas pessoas que buscam ter uma alimentação baseada em plantas. As PANC’S abrangem desde plantas nativas e pouco usuais até exóticas e silvestres, não são transgênicas e, na maior parte dos casos, são orgânicas. Se já é bacana introduzi-las na alimentação, imagina aprender a cultivá-las? Essa é a proposta do curso “Plantas Medicinais e PANC'S no telhado verde”, que acontecerá no próximo sábado (18/11), com a orientação do Eng. Agrônomo Julio Cesar Giuliani e da Bióloga Raquel Franzen. A proposta é de conhecer as plantas medicinais e PANC'S de maior incidência na nossa região e que podem ser cultivadas em pequenos espaços e telhados, bem como os cuidados no cultivo e suas funcionalidades, com duas horas de atividades práticas com relação ao cultivo, cuidados com as plantas e elaboração de receitas. #vailaPOA #vailaPOAZonaSul #vailaPOAalimentação #vailaPOAsustentabilidade

Vai lá: “Plantas Medicinais e PANC'S no telhado verde” (Ecoltelhado: rua Erechim, 330, Nonoai). Sábado (18/11), das 9h às 12h e das 13h às 17h. Investimento: R$200.
Inscrições: julio@ecotelhado.com.br
Saiba mais em: bit.ly/PANCSecotelhado

Esta dica foi da @carolfheck! Obrigada! 😉

Quando passamos a fazer escolhas mais conscientes para os nossos hábitos diários, inevitavelmente nos deparamos com as questões de mobilidade e deslocamentos nas nossas cidades. Optar por fazer percursos a pé ou unir modais de transporte diferentes pode ser uma boa opção para que a gente possa se apropriar mais dos espaços urbanos e passe a ter uma percepção diferente da cidade, mesmo que seja daquele trajeto habitual que fazemos cotidianamente.
Cidades mais caminháveis são um grande desejo de muita gente que tem se dedicado a pesquisar e colocar em prática a mobilidade a pé. Neste contexto, na quinta-feira passada (09/11) aconteceu aqui em Porto Alegre o lançamento do livro “Cidade de Pedestres - A caminhabilidade no Brasil e no mundo”. Compilando textos de autores que são referências no meio acadêmico e profissional contemporâneo na área da caminhabilidade, o livro reúne estudos inéditos de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife, Copenhague e Nova York. Organizado por Victor Andrade, que é coordenador do Laboratório de Mobilidade Sustentável (LABMOB - PROURB - UFRJ), e por Clarisse Cunha Linke (ITDP Brasil), conta também com a colaboração de Julio Celso Vargas, professor da Faculdade de Arquitetura da UFRGS.
E olha que bacana: a @a_pezito, que é uma iniciativa aqui de Porto Alegre que realiza experiências a pé guiadas para reforçar a convivência, cidadania, saúde e alegria na mobilidade, propôs uma caminhada até o local do lançamento do livro. Eu (@luanasilva_arq), que já fazia o mesmo trajeto a pé há um tempinho, aproveitei para trocar algumas experiências sobre “andar a pé”.
Caminhar é a forma mais democrática de se locomover. Como diz o @victor_andrade, caminhar é transformador! #vailaPOA #vailaPOAapé #believemission2

Vai lá: Livro “Cidade de Pedestres - A caminhabilidade no Brasil e no mundo”, organizado por Victor Andrade e Clarisse Cunha Linke

O #vailá de tempos em tempos costuma chamar pessoas queridas que se identificam com os nossos valores para mostrar um pouquinho do seu ponto de vista da cidade. Assim, este espaço fica cada vez mais colaborativo e construído em conjunto, pois a gente acredita muito nisso, sabe? E foi o que aconteceu nesta semana: chamei a @conselheiraliteraria, a @ninecopetti e a @mary_poulain para falar sobre a relação delas com Porto Alegre e ainda, em tempos de @feiradolivropoa, indicar uma leitura bacana e um lugarzinho-amor aqui da cidade. Viram que lindeza os posts? Gratidão, gurias!
Esse trio se conheceu em tempos diferentes, mas o contato inicial foi pelo Instagram. E daí em diante, foi só decidir levar a conversa para a vida offline, para que aquelas gurias que há tempos já se acompanhavam pela internet pudessem se olhar nos olhos… E tomar um café… E falar sobre algum livro, é claro!
A primeira foto foi do dia em que eu (@luanasilva_arq) as conheci pessoalmente. Junto delas, estava a @elingodois, passarinha que foi voar lá pra longe, numa trip que começou pelo Pará e ainda tem muito chão (água e ar) pela frente! A Élin é ilustradora e tem um trabalho lindo, que tu podes acompanhar pelo insta dela e até adquirir alguma ilustra, o que vai fazer com que ela voe mais longe!
Assim, com esses encontros, a gente vai construindo e transformando #ainternetqueagentequer! Como a @rubyaneborba diz: uma #internetafetiva! Não é demais?
#vailaPOA #vailaPOAconvidados #viajecomoumaguria

#vailaPOA por @mary_poulain |  E nada melhor que ler um bom livro num cantinho querido e aconchegante. Mais que recomendo o Estômago Café (@estomagocafe). Um café que fica na arborizada e verde Miguel Tostes. A vibe do lugar é indescritível. Só indo lá pra sentir todo o carinho que o lugar e os atendentes conseguem nos passar. Plantas espalhadas pelo ambiente dão todo o charme e ar ~casa de vó~. Tem um climinha todo vintage que consente um bom livro e uma boa xícara de café. Passa na Feira, pega teu livro e dá uma passadinha no Estômago. Tu não vai te arrepender!  #vailaPOA #vailaPOARioBranco #vailaPOAconvidados

Vai lá: Estômago Café (rua Miguel Tostes, 275, Rio Branco). De segunda à sexta, das 13h às 20h. Aos sábados, das 12h às 20h.

#vailaPOA por @mary_poulain | As coisas que me inspiram são as melhores definições de mim. Livros, fotografia, plantas, um piquenique no parque, cartas, cartões postais, viagens e uma boa prosa com uma xícara de chá ou café são os mais valiosos tesouros que tenho e quero sempre compartilhar com as melhores pessoas!
.
Um livro e um bom cantinho pra ler, por favor
.
Essa é umas das épocas do ano que mais adoro Porto Alegre. É chegada a tão esperada Feira do Livro. O centro ganha vida e o cheirinho bom dos livros se espalha pelo ar. Na Feira tive a oportunidade de conhecer pessoalmente e agradecer os meus autores favoritos pelos abraços em forma de livro que recebi ao longo da vida. O livro que eu indico não é um lançamento, mas é um dos títulos que sempre me comove cada vez que o leio: “Tudo que eu queria te dizer”, da Martha Medeiros, Editora Alfaguara. Mesmo com todo o avanço tecnológico e ganhos que conseguimos na comunicação a longa distância, ainda assim sou bem analógica. Melhor que um e-mail escrito e enviado quase que simultaneamente é aquela carta cheia de sentimento e carinho, carregada de ansiedade pela chegada. Amo escrever cartas! Talvez por isso livros escritos através de cartas (romances epistolares) tem um espacinho bem importante dentro do meu coração, pela verdade e intimidade que transmitem. Esse livro é composto de vários tipos de cartas (despedida, amor, corajosas, solidárias...) sempre trazendo a verdade e a sensibilidade que a carta exige.  #vailaPOA #vailaPOAconvidados

Vai lá: “Tudo que eu queria te dizer”, da Martha Medeiros (@realmarthamedeiros)

#vailaPOA por @mary_poulain | Nasci em Uruguaiana e lá vivi até os meus 25 anos. Apesar de o interior ter sua simplicidade e seus encantos sempre achei que era pequeno demais para mim. Eu desejava mais e queria voar! Em 2011 juntei toda a vida e lembranças em algumas caixas e, vim me aventurar na Capital, e por aqui me encontro até o momento. Sou formada em Biologia, mas acho que me definir apenas em uma área pra atuar na vida não dá. Já fiz de tudo um pouco (mas ainda nada relacionado a minha área de formação ~por enquanto~). Já vendi sapato, roupa, trabalhei 8 horas diárias dentro de um escritório e costumo dizer que hoje vendo sonhos, hehehe. Atualmente tenho dois empregos. Trabalho em uma agência de viagens e nos finais de semana na Livraria Cultura. Acho que ser livreira me define bastante. Já trabalhei em algumas livrarias de Porto Alegre e isso só aumentou ainda mais o meu gosto pela leitura. Minha relação com a cidade já foi bem pior. Hoje Porto Alegre e eu baixamos a guarda e conseguimos estabelecer uma relação de afeto. Apesar de querer ganhar o mundo eu nunca tinha voado. Então sempre que eu retornava para o interior eu queria ficar. Pela dor da saudade da casa que antes era minha, da família e dos amigos. Era triste ter que entrar no Planaltão e voltar pra Porto. A vida serena e calma do interior também entrou em conflito com a vida agitada e acelerada da capital. Com o passar do tempo Porto Alegre foi chamando minha atenção. E aprendi que eu iria ditar o ritmo pra conhecer essa nova cidade. Aqui conheci pessoas incríveis, criei laços que vou levar pra sempre no coração onde quer que eu esteja e elegi os meus lugares favoritos. Fiz da minha saudade uma Porto Alegre boa pra se viver. E também fui exercendo sensibilidade para coisas que eu nem imaginava ser capaz de fazer. Porto Alegre fez de mim um milhão de possibilidades e me fez ter coragem pra abraçar o mundo e alçar voos cada vez maiores. #vailaPOA #vailaPOAconvidados

Vai lá: @mary_poulain | www.polaroides-urbanas.tumblr.com

Most Popular Instagram Hashtags