#quemtemmétodotemtudo

MOST RECENT

Não importa o clima!! Vamos de #jurisprudencia 🤓📚⚖️ #ciclosr3 #meumetodofunciona #quemtemmétodotemtudo

Você fez o seu melhor hoje? Terminando o dia com a sensação de dever cumprido 💪📚💪📚💪📚 #concursopublico #concurseiros #ciclosr3 #tjmg #magistratura #defensoria #prahojeoqueédehoje #quemtemmétodotemtudo

Dica de OURO ✨
#Repost @brunadaronch
Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo). Obs1: não tenho critério com cores de marca texto. Obs2: Hj tenho poucos materiais físicos, pois a maioria fi

ALÔÔ, FAMÍLIA!!
Saiu o edital do STJ! E nós fizemos um cronograma especial de revisão até a data da prova! ㅤㅤㅤ
ㅤㅤㅤ
PARA MAIORES INFORMAÇÕES: stjciclos@gmail.com
ㅤㅤㅤ
‼️ATENÇÃO‼️ Não é turma especial! Não oferecemos material, nem distribuímos os pontos do edital! É um cronograma no formato tradicional intensivo, mas específico e direcionado para a prova do STJ, onde orientamos como distribuir os pontos, e especificamos as devidas revisões até a data da prova!
*Investimento: R$ 600,00
ㅤㅤㅤ
ㅤㅤㅤ
#ciclostribunais #analiataetecnico #stj #concursostj #sjt2018 #quemtemmétodotemtudo

Que tal recordar dessa dica que passei para vcs aqui no Instagram? Recebi algumas mensagens pedindo onde ela estava e resolvi repostar.

#Repost @brunadaronch (@get_repost)
・・・
Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA. Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo).

Vi no insta do @nobreconcurseiro e fui no insta da @brunadaronch porque acho que vai ajudar muita gente!! #Repost @brunadaronch (@get_repost)
・・・
Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo). Obs

#Repost @brunadaronch (@get_repost)
・・・
Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo). Obs1: não tenho critério com cores de marca texto. Obs2: Hj tenho poucos materiais físicos, pois a maioria fi

Olha ai uma informação importante para quem quer concurso!
#Repost @ciclosr3 (@get_repost)
・・・
No Ciclos, nós trazemos um método de estudo que pode ser aplicado para qualquer área e qualquer tipo de concurso! Então, a resposta é SIM! É possível fazer um planejamento do Ciclos para o seu concurso! Não trabalhamos apenas com a área jurídica ou de carreiras jurídicas.
Explicamos um método, baseado em diversos estudos e aplicado também na prática pelos nossos coaches. Analisamos as especificidades de cada concurso, levando em consideração os últimos editais, os perfis das bancas e orientamos na construção da base para o concurso desejado (no caso dos ciclos tradicionais extensivos), ou direcionamos o estudo para uma determinada prova, caso já haja edital aberto (nos ciclos tradicionais intensivos ou no caso da abertura de turmas específicas). Por isso, o atendimento é de extrema importância, pois é nele que podemos trocar experiências com o aluno e deixar o cronograma realmente de acordo com o que se almeja, totalmente personalizado!
Com planejamento e constância, a caminhada de estudos torna-se muito mais leve! 😉

Para mais informações, consultem o nosso site www.ciclosr3.com.br
#quemtemmétodotemtudo #quesejaleveenquantodure #ciclosr3 #ciclosanalistaetécnico #setoranalistaetécnico

No Ciclos, nós trazemos um método de estudo que pode ser aplicado para qualquer área e qualquer tipo de concurso! Então, a resposta é SIM! É possível fazer um planejamento do Ciclos para o seu concurso! Não trabalhamos apenas com a área jurídica ou de carreiras jurídicas.
Explicamos um método, baseado em diversos estudos e aplicado também na prática pelos nossos coaches. Analisamos as especificidades de cada concurso, levando em consideração os últimos editais, os perfis das bancas e orientamos na construção da base para o concurso desejado (no caso dos ciclos tradicionais extensivos), ou direcionamos o estudo para uma determinada prova, caso já haja edital aberto (nos ciclos tradicionais intensivos ou no caso da abertura de turmas específicas). Por isso, o atendimento é de extrema importância, pois é nele que podemos trocar experiências com o aluno e deixar o cronograma realmente de acordo com o que se almeja, totalmente personalizado!
Com planejamento e constância, a caminhada de estudos torna-se muito mais leve! 😉

Para mais informações, consultem o nosso site www.ciclosr3.com.br
#quemtemmétodotemtudo #quesejaleveenquantodure #ciclosr3 #ciclosanalistaetécnico #setoranalistaetécnico

@Regrann from @barbie_superacao - @Regrann from @brunadaronch - Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo). - #regrann

#Repost @concurseira_digital (@get_repost)
・・・
#Repost @brunadaronch (@get_repost)
・・・
Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo).

@Regrann from @brunadaronch - Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo).

#Repost @brunadaronch (@get_repost)
・・・
Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo). Obs1: não tenho critério com cores de marca texto. Obs2: Hj tenho poucos materiais físicos, pois a maioria fi

@Regrann from @brunadaronch - Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo). Obs1: não tenho critério com cores de marca texto. Obs2: Hj tenho poucos materiais físicos, pois a maioria fica no me

@Regrann from @brunadaronch - Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo). Obs1: não tenho critério com cores de marca texto. Obs2: Hj tenho poucos materiais físicos, pois a maioria fica no me

Muitas pessoas me perguntam qual a melhor maneira de fazer revisões: resumos ou grifos? Já aviso que minha opinião não é nem um pouco imparcial por um motivo básico: simplesmente não gosto de fazer resumo (tenho preguiça, acho cansativo, demorado e improdutivo). Por isso, não quero entrar no mérito deste assunto polêmico. Quando descobri que poderia passar em concurso sem fazer resumo, eu fiquei aliviada (😂). No entanto, ao optar por fazer revisão por grifos, precisei enfrentar outro desafio: grifar apenas palavras importantes no seu material (#linksmentais - amo!). Acredito que muitos de vcs já se depararam com um livro grifado/sublinhado quase na integralidade (veja a foto 02) e, ao fazer a revisão, precisa ler tudo novamente (afinal, vc não sabe o que é importante #quemnunca). Eu lia, grifava e sublinhava sem critério.

Pois bem, eu aprendi com o @ciclosr3 uma técnica muito simplória, mas eficiente demais: VC NÃO PODE USAR O MARCA TEXTO NA PRIMEIRA LEITURA (foto 01). Sabe pq? A primeira leitura é o primeiro contato com a matéria e a tendência é que tudo seja relevante. Então, nesse primeiro contato, vc apenas sublinha o que acha relevante (sim, vai ser muita informação). Ao fazer a revisão, após algumas semanas, vc estará apto a fazer uma leitura mais dinâmica e saberá filtrar (daqueles sublinhados da primeira leitura) as palavras realmente relevantes que devem ser lidas em todas as demais revisões e na véspera da prova (por exemplo, na semana da prova oral, eu consegui revisar todo "Poder Público em Juízo" em um dia só por causa desse critério de grifos das palavras importantes). "Mas, Bruna, como faço essa revisão?" Bom, aí depende do seu método de estudo e da forma que vc se organiza. "E se eu não faço revisão?" Meu amigo(a), vamos rever essa forma de estudar. Eu sempre falo: só não passar em concursos quem desiste e... não revisa 😂 Somente na revisão vc consegue consolidar a matéria e se sentir mais seguro. Ela precisa estar na sua rotina diária. Escolha um método, confia e se joga (#quemtemmétodotemtudo). Obs1: não tenho critério com cores de marca texto. Obs2: Hj tenho poucos materiais físicos, pois a maioria fica no meu Dropbox e em Word (#FUC).

Algumas perguntas sobre @ciclosr3 que tenho recebido.
🌼 Tem material? Não. Pra AFT não tem as famosas FuC's mas somos orientados de como fazê-las.
🌼Como é o acompanhamento? Tem uma entrevista, a primeira, por skype, o restante é por email e o @ricardo_pcavalcante é mega atencioso, responde super rápido.
🌼Quanto pagou? 600.00
🌼Então pago só pelo cronograma? Não, se paga pelo método e isso faz toda diferença.
Você ter dia pra ver matéria nova, revisar e fazer questões faz toda diferença💙
#quemtemmetodotemtudo
🌼Vale a pena? Claro que sim, você vê, rever e rever a matéria, isso te dá confiança, você sente sua evolução.
Só uma coisa, se precisar de um acompanhamento onde o coach manda MSG pra te mandar estudar, cobrando horas de estudos e perguntando como foi o dia, o @ciclosr3 não é pra você.
O ciclos é método, você tem que fazer a parte dura, sentar e estudar, tem que ter disciplina.
Gente, mas vale a pena, vale muitooo!!💙
Qualquer dúvida podem perguntar aqui ou no direct que respondo❤😘
#ciclosR3 #souciclos #quemtemmétodotemtudo #quesejaleveenquantodure

Fico emocionada quando lembro do primeiro atendimento e do cronograma no Word, tendo que pintar cada quadradinho aí #ciclosraiz.

É incrível ver a evolução da Bruna. Lembro da minha esperança de ter no @ciclosr3 uma nova forma de estudar. Eu estava no meio do concurso e apostei todas as minhas fichas em algo que era, naquela época, ainda pouco conhecido. Ah, como valeu a pena.

E quando fui convidada para fazer parte da equipe? Eu era a pessoa mais feliz do mundo. Foi no dia do resultado da oral da AGU. Com o Ciclosr3, descobri como eu poderia auxiliar as pessoas, mostrando um caminho "menos espinhoso". Lembro de cada aluno, cada atendimento e cada sorriso e esperança, quando, ao final, todos diziam: "agora vai dar certo". E as mensagens de avanço e de progressos? Impossível colocar tudo que sinto pelo Ciclosr3​ nesta legenda. A melhor sensação é espalhar a leveza, esse colorido e uma energia maravilhosa por esse Brasil. E agora muitas FUCs sendo feitas, refeitas, reorganizadas e reestruturadas para deixar o caminho mais especial com o #setordemateriais.

02 anos de Ciclosr3 significa 02 anos de leveza, encarando a vida com mais amor, gratidão e com um colorido todo especial. Aos poucos, conseguimos modificar a forma com que as pessoas devem encarar os obstáculos da vida. O que era difícil/torturante/chato, passa a ser um caminho bonito, de aprendizado, cheio de pequenas vitórias e grandes recompensas. Vcs têm noção disso? Sério, é incrível!

Com o @ciclosr3, eu voltei a sonhar e acreditar que, sim, tudo é possível, quando temos organização, dedicação e estratégia.

Uma vida longa, leve e colorida ao @ciclosr3!!!!!!!! Vamos comemorar da melhor forma possível: ciclando muito!!!!!!!! #bdayciclos2anos #quesejaleveenquantodure #quemtemmétodotemtudo

Most Popular Instagram Hashtags