#fisiosport

MOST RECENT

No puedo dejar de dar gracias a Dios por la salud y hacer lo que me apasiona.. un evento muy diferente a lo que se ha venido entrenando , super explosivo y competidores muy rápidos pero se saco la tarea, gracias a mi familia y a Trilife506 por el apoyo, al coach Julio Cesar Ballestero Jimenez por siempre darme esa guía para cada evento y finalmente gracias a todos aquellos colaboradores que han creído en el trabajo.. Un abrazo
#feltbicycles
#avimil
#ciclomimi
#poc
#fisiosport
#bcuniformes

Síndrome do impacto
-
✔️- Essa patologia caracteriza-se por uma síndrome dolorosa do ombro, normalmente acompanhada por microtraumatismos e degeneração, além do déficit de força muscular e tendinite do manguito rotador.
✔️- Mecanismo de lesão: abdução/flexão com rotação interna. -
✔️- Causas: Trauma repetitivo; desequilíbrio muscular/articular; alterações posturais; aderências no manguito.
✔️- Sintomas: dor na parte anterior do ombro; fraqueza muscular; diminuição da amplitude de movimento.

Una hora de ejercicio y ahora hielo y magneto, otro día de #fisioterapia #gym #rodilla #fisiosport

Curso de Quiropraxia Clínica para Fisioterapeutas.
É a sua chance de fazer a diferença em suas carreiras e na vida de seus pacientes.
Mais uma vez em São Paulo, com este curso que você vai aprender a dominar as mais avançadas técnicas manipulativas.
Módulo I , 17, 18 e 19 de agosto.
Vagas limitadas!!!! 🚨🚨
Não fique de fora !!!!
.
Informações:
WhatsApp (14) 99900-5402
(14) 3897-8008
(14) 991978443
.
#quiropraxia #quiro #quiropraxista #fisio #fisioterapia #fisioterapeuta #quiropraxiaesportiva #quiropraxiaclinica #institutoandresantos #drandresantos #bodybuilder #crossfit #fisiosp #fisiosport #saopaulo #sp

Hoje trago para você, que assim como eu gosta de aprender, um resumo sobre Bíceps Braquial, abordando origem, inserção e ação. Espero que você goste!
#professor #profdigital #musculo #musculos #fisio #fisiologia #ensinando #ensinandoeaprendendo #fisiosport #fisioterapia #origem #insercaomuscular #ação #fisiomanaus #acre #riobranco #riobrancoacre

Un poco de humor para todos y que sea un buen lunes!

Cuando hablamos de que tienen que cuidar su postura durante el día y después de sus sesiones nos referimos a que lo hagan!
Si quieren lo hacen como él 😂

#Kinesiología #humor #Deportes #fisiolap #fisiosport #workout #sporttime

Mais uma semana que se inicia... trabalhar, porque nada vem de “mão beijada”! 👊🏻😉🏆 #NãoParaNunca #Work #CTLA #TurmaDas7 #PersonalFight #FisioSport #TudoPosso #NadaTemerei

La tabla de equilibrio es perfecta en rutinas de entrenamiento funcional, pues trabajas y fortaleces el cuerpo entero.
.
.
.
.
.
#Xalapa #fisiosport #fisioterapiadeportiva #fisiosportxalapa #entrenamientofuncional #entrenamiento #train #trainnig

Lavori in corso... Son già finito 😱😂 #fisiosport #workinprogress #instagood #instagram #instalike #photography #newstyle

CANELITE EM CORREDORES!!!
Quais são os fatores de risco, diagnóstico diferencial, testes preditores, tempo de recuperação e epidemiologia da Síndrome do Estresse tibial medial (Canelite) (MTSS) em corredores.
🏃🏻‍♀️🏃🏻‍♀️🏃🏻‍♀️🏃🏻‍♀️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️
Quando não sabemos a real causa de um impacto, levamos consideração os fatores de risco que aumentam a probabilidade, é o caso da síndrome do estresse tibial medial (canelite) em corredores.
Nós ainda não conseguimos identificar a causa específica desta síndrome, porém sabemos que existem alguns fatores que aumentam o risco para surgimento da canelite em corredores, e por incrível que pareça, o tipo de pisada pronada não aumenta esta probabilidade, não é um fator de risco.

Porém muitas vezes nossa obsessão biomecânica, e ainda a plausibilidade biológica fala mais alto, e naquela avaliação que encontramos “algo fora do eixo”, associamos erroneamente alguns achados à causalidade do acometimento.
A síndrome do estresse tibial medial afeta de 5% a 35% dos corredores. ☠️ Os Fatores de Risco encontrados foram: •Sexo Feminino (RR 1,71)
•Homens com aumento de rotação externa de quadril
•Uso prévio de palmilhas (RR 2,31)
•Queda do Navicular (gota navicular) + 0,10 mm (RR 1,99)
•IMC Alto
•Menos Anos de experiência de corrida
•História Anterior de MTSS (RR 3,74)
•Aumento da flexão plantar.
O Tempo de Recuperação varia de 6 a 10 meses

NÃO foi encontrado associação entre o tipo de pé PRONADO e MTSS.
• Foi encontrado reduções mensuráveis na densidade mineral óssea por até 7 anos após o início dos sintomas. • O tempo de recuperação é de 6 a 10 meses.
• Dor e edema a palpação são características preditoras para o surgimento da canelite. • Durante a avaliação é necessário excluir a possibilidade de fratura por stress, síndrome do aprisionamento da artéria poplítea e síndrome compartimental.

Por Josemir Dutra- Fisioterapeuta @josemirdutrafisio
Referências:
NEWMAN, Phil et al. J Sports Med (2013).
Hamstra-Wright, Karrie L. et al. British journal of sports medicine (2015).
Newman, Phil, et al. British journal of sports medicine (2012).

#repost @conceitopml
CANELITE EM CORREDORES!!!
Quais são os fatores de risco, diagnóstico diferencial, testes preditores, tempo de recuperação e epidemiologia da Síndrome do Estresse tibial medial (Canelite) (MTSS) em corredores.
🏃🏻‍♀️🏃🏻‍♀️🏃🏻‍♀️🏃🏻‍♀️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️🏃‍♂️
Quando não sabemos a real causa de um impacto, levamos consideração os fatores de risco que aumentam a probabilidade, é o caso da síndrome do estresse tibial medial (canelite) em corredores.
Nós ainda não conseguimos identificar a causa específica desta síndrome, porém sabemos que existem alguns fatores que aumentam o risco para surgimento da canelite em corredores, e por incrível que pareça, o tipo de pisada pronada não aumenta esta probabilidade, não é um fator de risco.

Porém muitas vezes nossa obsessão biomecânica, e ainda a plausibilidade biológica fala mais alto, e naquela avaliação que encontramos “algo fora do eixo”, associamos erroneamente alguns achados à causalidade do acometimento.
A síndrome do estresse tibial medial afeta de 5% a 35% dos corredores. ☠️ Os Fatores de Risco encontrados foram: •Sexo Feminino (RR 1,71)
•Homens com aumento de rotação externa de quadril
•Uso prévio de palmilhas (RR 2,31)
•Queda do Navicular (gota navicular) + 0,10 mm (RR 1,99)
•IMC Alto
•Menos Anos de experiência de corrida
•História Anterior de MTSS (RR 3,74)
•Aumento da flexão plantar.
O Tempo de Recuperação varia de 6 a 10 meses

NÃO foi encontrado associação entre o tipo de pé PRONADO e MTSS.
• Foi encontrado reduções mensuráveis na densidade mineral óssea por até 7 anos após o início dos sintomas. • O tempo de recuperação é de 6 a 10 meses.
• Dor e edema a palpação são características preditoras para o surgimento da canelite. • Durante a avaliação é necessário excluir a possibilidade de fratura por stress, síndrome do aprisionamento da artéria poplítea e síndrome compartimental.

Por Josemir Dutra- Fisioterapeuta @josemirdutrafisio
Referências:
NEWMAN, Phil et al. J Sports Med (2013).
Hamstra-Wright, Karrie L. et al. British journal of sports medicine (2015).
Newman, Phil, et al. British journal of sports medicine (2012).

Hérnia Discal ▪️- A hérnia discal é um processo em que ocorre a ruptura do anel fibroso, com subsequente deslocamento da massa central do disco nos espaços intervertebrais.
▪️- Causas: Traumas em flexão com rotação e musculatura relaxada; degeneração espontânea por envelhecimento.
▪️- Sinais e sintomas: dor repentina e agravada por movimentos; localização central ou somente em um lado, aliviada na posição sentada ou em pé, agravada na posição sentada; dor ciática; espasmo.

Bursite trocantérica .
✔️- Dor crônica, intermitente, acompanhada de desconforto à palpação da região lateral do quadril, causada pelo processo inflamatório das bursas. .
✔️- Fatores desencadeastes: Pelve larga, aumento do ângulo Q, corridas em terrenos com desníveis, supinação excessiva no choque do calcanhar. .
✔️- Sinais e sintomas: dor sobre a face lateral do quadril, dor ao andar e cruzar a perna, dor aumenta com abdução.

Epicondilite Lateral ▪️- A epicondilite lateral ou cotovelo de tenista é uma lesão com início insidioso, geralmente relacionada a sobrecargas repetitivas, que acometem primariamente o extensor radial curto do carpo. Acomete 1/3 dos tenistas, principalmente a partir dos 35 anos.
▪️- Fatores contribuintes: Excesso de movimento no punho (backhand), uso inadequado do tronco, sobrecarga repetitiva, desbalanceamentos musculares.
▪️- Sinais e sintomas: dor na parte externa do cotovelo (epicôndilo lateral) com irradiação para a musculatura extensora do antebraço e diminuição da força de preensão.

▪️- A SDFP é ocasionada por um desequilíbrio biomecânico que atinge a articulação do joelho, cerca de 20% da população esportiva é afetada com esta patologia.
▪️- Fatores contribuintes: alterações da superfície patelar, alterações morfológicas e de posicionamento patelares, alterações em articulações adjacentes.
▪️- Sinais e sintomas: dor posterior na patela, instalação lenta, dor à palpação ínfero medial, dor ou rigidez ao levantar da posição sentada ou agachar, dor à compressão patelar.

Most Popular Instagram Hashtags