sulvinteum sulvinteum

674 posts   11,177 followers   464 followings

Sul21  Jornal focado em política e direitos humanos

Retratos produzidos pelo fotógrafo @guilherme_santos para a reportagem "Dos acampamentos na beira de estradas às retomadas: a luta do povo guarani pelo ‘lugar onde se é’", escrita pelo repórter @marcoweissheimer. Leia a reportagem completa no nosso site #Sul21. •
.
.
#photography #fotojornalismo #fotografia #portrait #retrato #indígenas #povosindigenas #fotoperiodismo #fotosul21 #canon

Pressa para Temer e incerteza para milhares de famílias: como estão as obras da nova Ponte do Guaíba?
.
Confira a matéria da repórter @fleckgiovana no site do #Sul21. Fotos de @joanaberwanger
.
#fotojornalismo #fotoperiodismo #fotosul21 #retrato #portrait

“Ele forçava a gente a beijar o piu-piu”. “Precisava de injeção no bumbum para eu ficar bonzinho”. “Saiu uma baba branca, e a agente vomitava”. Nesta quarta-feira (12), essas e outras frases de crianças vítimas de pedofilia foram dispostas no canteiro central em frente ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS). A intervenção ocorreu durante o ato ‘Proteger nossos filhos não é crime’, convocado por coletivos e ONGs relacionados à maternidade e à proteção da infância.

O ato ocorreu simultaneamente em 17 países. O objetivo é chamar a atenção para as injustiças provocadas pela Lei de Alienação Parental que, através da inversão de guarda, abre precedentes para o convívio forçado com agressores. A lei, sancionada no Brasil em 2010, é um reflexo dos estudos do psiquiatra Richard Garner – que estabeleceu o conceito de Síndrome da Alienação Parental com objetivo de impedir que, em casos de divórcio, um cônjuge sabote a relação do outro com os filhos.

Leia a reportagem completa no #Sul21 clicando no link da nossa bio. Fotos por @joanaberwanger e texto por @fleckgiovana

#fotoSul21 #alienaçãoparental #portoalegre #protesto #jornalismo #photojournalism

Valério mora sob o viaduto Tiradentes, do lado da Rua Silva Só, há 12 anos. Diz que sempre tenta deixar a área organizada, sem sujeira espalhada. Vivem ali ele e o seu cão, Amarelo, a quem ele chama de pai. Conta que outras pessoas já tentaram se somar a eles no local, mas acabam desistindo por não se adaptarem. “Eu peço muita organização, e a galera fica meio chateada e acaba saindo”. Ele conta que conhece as pessoas que moram sob o viaduto do lado da Rua Mariante, mas frisa que o outro lado é uma situação diferente.
Do outro lado da rua abriu um estabelecimento que vende hambúrguer e cachorro quente no último sábado (8). Por enquanto, o local disponibiliza duas mesas com algumas cadeiras sobre um pavimento recém colocado sob o viaduto.

O negócio está inserido dentro de uma iniciativa da Prefeitura de Porto Alegre para “revitalizar” espaços públicos subaproveitados ou ocupados por pessoas em situação de rua, conforme diz nota divulgada no sábado. Na última quinta (6), já havia sido inaugurado um espaço para gastronomia itinerante próximo à altura do número 500 da Av. Goethe. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE) diz que o espaço era “ocupado por moradores de rua e servia de ponto de tráfico”. A mesma nota comemorava que um “truck” de cerveja havia vendido, entre às 10h e 15h de sábado (8), 28 copos de cerveja artesanal, a um preço médio de R$ 10. Leia a reportagem completa no #Sul21 clicando no link na nossa bio.

Fotos por @guilherme_santos e texto por @louistgomes.
#fotosul21 #portoalegre #moradia #goethe #jornalismo #photojournalism

Reconhecendo o caráter simbólico da Praça da Alfândega, há cinco gestões atrás, a Prefeitura de Porto Alegre iniciou uma série de projetos para revitalizar e garantir a preservação histórica do espaço. Os primeiros investimentos ocorreram por volta de 2004, com cursos para artesãos da região, a partir de fundos investidos no Projeto Monumenta. Nos últimos anos, coordenado pela Secretaria Municipal da Cultura (SMC), o projeto desenvolveu uma proposta arquitetônica para a Alfândega. Entre obras de restauração e qualificação, foi projetado e construído o Módulo de Serviços Caminho dos Jacarandás – entregue no final de julho.

O prédio onde hoje operam os módulos comerciais fica localizado no lado leste da praça – entre a Caixa Econômica Federal e os calçadões das ruas dos Andradas e Sete de Setembro. São nove lojas, das quais sete já estão ocupadas. “Eu que trouxe os outros. Trabalhar em uma praça histórica, próximo a esse fluxo de pessoas… Todos toparam”, conta o proprietário do Café da Praça. Ele aponta para as outras lojas, contando sobre a reação dos colegas ao saberem da possibilidade de abrirem seus negócios. “Foi um processo relativamente simples”, conta. “Só que ainda falta segurança”. Leia a reportagem completa no #Sul21 clicando no link na nossa bio. Fotos por @joanaberwanger e texto por @fleckgiovana.
#portoalegre #fotoSul21 #fotojornalismo #praçadaalfandega #centrohistorico

Ocupação Mirabal e Simpa se unem em ato em ‘defesa de Porto Alegre’

Porto Alegre amanheceu nesta terça-feira (4) com mais um despejo. Mais de 100 famílias, muitas delas de haitianos, tiveram as casas da Ocupação Progresso demolidas na ação de reintegração de posse levada a cabo pela Brigada Militar. Uma história comum na cidade. Tão comum que já há outra marcada. A Ocupação Mulheres Mirabal teve, na semana passada, uma ação de reintegração de posse emitida contra si, mesmo existindo acordo com o governo do Estado e com a Prefeitura para a transferência da casa de acolhimento de mulheres vítimas de violência que opera no Centro de Porto Alegre. No final da tarde, representantes da ocupação e de outros movimentos sociais se juntaram ao Sindicato dos Municipários de Porto Alegre (Simpa), que logo antes haviam votado pela manutenção da greve da categoria, em um ato em defesa de uma cidade que não trate os movimentos sociais e as políticas públicas como casos de polícia e passivos de repressão.

Foto: @guilherme_santos /Sul21
Texto: Luís Eduardo Gomes/Sul21

#simpa #municiparios #fotosul21 #mirabal #ocupaçãomirabal #photojournalism #fotojornalismo

A chuva que caía no início da manhã desta terça-feira (4) era só mais um dos problemas enfrentados pelas famílias que permaneciam na Ocupação Progresso, no bairro Sarandi, em Porto Alegre. Os moradores foram acordados ainda na madrugada com um incêndio que atingiu três casas da comunidade, poucas horas antes do início da reintegração de posse do terreno, que já estava marcada para as 6h30. Por volta das 10h, ainda era possível sentir o cheiro da fumaça que saía das cinzas de uma casa totalmente consumida pelas chamas. Os moradores acreditam que o incêndio tenha sido criminoso, mas não apontam possíveis culpados.

Existente há quatro anos, a Progresso era formada por mais de 200 famílias, entre brasileiros e migrantes haitianos, que vieram de seu país em busca de uma vida melhor. Agora, todos encontram-se desabrigados e desesperançosos em relação ao Brasil. “Nós vamos ter que pagar outra casa pra morar, mas vamos deixar o Brasil. Queremos uma vida melhor, uma vida tranquila, com respeito. Eu não gosto mais do Brasil, não fico mais”, lamenta Pierre Widson, que chegou ao país há dois anos com a expectativa de ter uma vida melhor do que em seu país de origem, e atualmente trabalha na construção civil.

Leia a reportagem completa no #Sul21 clicando no link da nossa bio. Fotos por Joana Berwanger e reportagem por Débora Fogliatto/Sul21 #fotosul21 #ocupação #moradia #portoalegre

Na entrevista de segunda-feira conversamos com o Frei Sérgio Antonio Görgen, que pela quinta vez em sua vida adotou a greve de fome como uma forma de luta e de protesto. Desta vez, o frade franciscano e integrante do Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA) integrou um grupo de sete militantes de movimentos populares (além dele, Jaime Amorim, Zonália Santos, Rafaela Alves, Luiz Gonzaga, Vilmar Pacífico e Leonardo Soares) que foi a Brasília fazer uma greve de fome cujo alvo de protesto foi o núcleo duro do Judiciário do país, o Supremo Tribunal Federal. A escolha do método da greve de fome para realizar esse protesto foi resultado de uma avaliação política. Frei Sérgio resume a lógica que regeu essa escolha.

Frei Sérgio recebeu o #Sul21 na sede provincial dos franciscanos no Rio Grande do Sul, na zona sul de Porto Alegre, para fazer um balanço da greve de fome de 26 dias, a mais longa da qual já participou.
Leia a entrevista completa no site clicando no link da nossa bio. Reportagem por Marco Weissheimer/Sul21 e fotos por Joana Berwanger/Sul21.
#fotoSul21 #freisergio #grevedefome #protesto #portoalegrew

Relembre a série de reportagens especiais que narram o processo histórico que vem moldando Porto Alegre desde a Colônia Africana, passando por comunidades removidas para a Copa do Mundo e chegando às expectativas para o 4° Distrito.
Clique nos destaques no nosso perfil para conferir o especial Gentrificação. Fotos: Guilherme Santos/Sul21 e Maia Rubim/Sul21

#Sul21 #especialgentrificação #gentrificação #portoalegre #jornalismo

Nos últimos meses, a Argentina se viu tomada pela “onda verde” que levou milhões às ruas das principais cidades movidas pela vontade de lutar pelos direitos das mulheres.
Na avaliação do professor e economista Hernán Neyra, assessor técnico da Câmara de Deputados argentina há quase 30 anos, grande parte dos deputados que votaram a favor da legalização do aborto no país realmente “ouviram as ruas”. Ele relata também a grande mobilização por parte de adolescentes e jovens adultos, que se informaram sobre o tema, participaram de atos, observando inclusive que alguns parlamentares foram influenciados diretamente por filhos e filhas dessa faixa etária. “Muitos deputados disseram ‘tenho uma filha de 15 anos e ela me disse para votar a favor’, então muito se falou nessa noite da ‘revolução das filhas’”, narra ele, que acompanhou de perto a tramitação do projeto na Câmara.

Em visita a Porto Alegre na semana passada, Neyra ministrou a palestra Interrupción voluntária del embarazo en Argentina: discusiones y perspectivas, na Faculdade de Economia da UFRGS e conversou com o #Sul21 sobre a trajetória da discussão no seu país e as perspectivas para o assunto daqui para a frente. Clique no link da nossa bio para conferir a entrevista completa.
Reportagem por Débora Fogliatto/Sul21 e foto por Guilherme Santos/Sul21

#fotosul21 #abortolegal #niunamenos
#argentina #ufrgs

O Centro Histórico de Porto Alegre conta com 32 bens tombados, seja pela Prefeitura, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (Iphae) ou pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Desses, doze são propriedades particulares e o restante está distribuído entre o Governo do Estado do Rio Grande do Sul e a Prefeitura. Existem, ainda, outros imóveis que aguardam a regularização como patrimônio tombado.

Porto Alegre é uma das 26 cidades brasileiras integrantes do Programa Monumenta. “Mas a única onde ele deu certo”, afirma o arquiteto Lucas Volpatto. O Monumenta é um Programa do Ministério da Cultura voltado à requalificação de centros históricos urbanos no território nacional. Seu modelo foi o primeiro a reunir a prática de restauração de edificações e espaços públicos, o financiamento de imóveis privados de valor histórico, e projetos no campo da educação patrimonial e da economia da cultura, aliando a memória social da comunidade ao desenvolvimento econômico. Porém, esse fundo corre o risco de acabar. Leia mais no #Sul21 clicando no link da nossa bio.
Reportagem por Giovana Fleck/Sul21 (@fleckgiovana) e fotos por Guilherme Santos/Sul21 (@guilherme_santos) #fotosul21 #portoalegre #arquitetura #prediostombados #predioshistoricos #fotojornalismo

Tradicionalista Paixão Cortes é velado no Palácio Piratini.
Fotos: @guilherme_santos /Sul21

#tradicionalismo #laçador #paixaocortes #fotosul21

Most Popular Instagram Hashtags