reporterbrasil reporterbrasil

119 posts   10,856 followers   47 followings

Repórter Brasil  A Repórter Brasil denuncia violações de direitos humanos, investiga cadeias produtivas de grandes setores e atua na prevenção do trabalho escravo

Pecuaristas menonitas e frigoríficos brasileiros avançam sobre o Chaco paraguaio, transformando o bioma em um dos mais desmatados do mundo. Flagrantes de trabalho escravo revelam ainda exploração de indígenas e crianças nas fazendas. “Os indígenas ganham pouco, trabalham muito, comem pouco, não dormem bem. Falta água. E todo mundo sabe disso”, diz líder comunitário Guarani-Ñadeva.

Link para a reportagem na bio.

Ailton Lima é morador da Serra do Centro, em Tocantins. Na época de chuvas ele não pode usar a água do rio, pois os agrotóxicos das lavoras de soja contaminam o curso d'água. Leia as reportagens especiais que preparamos sobre 10 comunidades tradicionais. Link na bio. 📷 @isenseemarcio

Nicole, 5 e Mirela, 3, brincam às margens do rio do Centro, em Tocantins. A qualidade da água está comprometida pelo excesso de utilização de veneno nas lavouras de soja. Leia as reportagens especiais que preparamos sobre 10 comunidades tradicionais. Link na bio. 📷: Márcio Isensse Sá

Moradora da comunidade de Fundo de Fecho de Pasto faz artesanato com o capim dourado. A Repórter Brasil preparou um especial com 10 reportagens sobre comunidades tradicionais, entre elas, está o caso que ocorreu na pequena cidade de Correntina, no Oeste baiano. Mais de mil camponeses colocaram fogo nas bombas que puxam água do rio para irrigar a plantação de feijão e outros cultivos. A indignação deles é com a ameaça de sumiço do rio Arrojado. Leia a reportagem completa no link na bio. 📷: Gui Gomes

Camponês maneja o gado criado livre na comunidade do Oeste da Bahia. A Repórter Brasil publica hoje nova matéria do especial sobre comunidades tradicionais. Grilagem, desmatamento e desvio da água por grandes fazendas são alguns dos obstáculos enfrentados por moradores de comunidades centenárias. Link para reportagem completa na bio. 📷: Gui Gomes

Escola da periferia de São Paulo (SP) é referência por ensino e acolhimento a mais de 200 migrantes. A unidade escolar integra a rede do programa Escravo, nem pensar! Confira o vídeo
http://escravonempensar.org.br/2018/04/haitianos-migracao-e-educacao-em-sao-paulo-sp/

Exclusivo: lista suja do trabalho escravo.
Pastelarias cariocas e empresa de comida do Rock in Rio estão em nova atualização da “lista suja” do trabalho escravo. Relação de empresas responsabilizadas por esse crime, divulgada pelo Ministério do Trabalho, totaliza 165 empregadores, responsáveis por manter 2.264 trabalhadores em situação análoga à escravidão
http://reporterbrasil.org.br/2018/04/pastelarias-cariocas-e-empresa-de-comida-do-rock-in-rio-estao-em-nova-atualizacao-da-lista-suja-do-trabalho-escravo/

Desmatadores doaram R$ 58 milhões à campanha de deputados federais, 6 ministros estão na lista. Entre eles, o do Meio Ambiente, revelou o Ruralômetro. Acesse: https://ruralometro.reporterbrasil.org.br/

Deputado campeão de desmatamento, filho de Kátia Abreu legisla em defesa dos negócios da família. Irajá Abreu criou projeto de lei que beneficia não apenas o agronegócio, mas a sua própria fazenda, que foi multada em R$ 130 mil pelo Ibama. #RepórterBrasil
Acesse: http://reporterbrasil.org.br/2018/03/deputado-campeao-de-desmatamento-filho-de-katia-abreu-legisla-em-defesa-dos-negocios-da-familia/

M.Officer pode ser banida de São Paulo. Desembargadores deram por encerrado o julgamento da empresa por submeter trabalhadores à condição análoga ao de escravo.
http://reporterbrasil.org.br/2017/11/tribunal-condena-m-officer-por-escravidao/

A gigantesca transformação na vida dos ribeirinhos e povos indígenas, promovida pela chegada das hidrelétricas na Amazônia, é o fio condutor do documentário "O Jabuti e a Anta", boat-movie de Eliza Capai com narração de Leticia Sabatella.

Conhecidos por expulsar madeireiros do seu território, os Ka’apor trabalham em um movimento maior, que busca a autonomia para controlar seu território.
Em fiscalizações, os Ka’apor incendeiam estruturas usadas por madeireiros. Foto: Lunaé Parracho/Repórter Brasil
Acesse: http://reporterbrasil.org.br/2018/01/indigenas-do-maranhao-buscam-romper-com-o-resto-da-sociedade/

Most Popular Instagram Hashtags