lagemannrudi lagemannrudi

718 posts   10,059 followers   1,995 followings

Rudi Foguinho Lagemann  Diretor de cinema, publicidade e TV! Rio de Janeiro

Pausa nos trabalhos para cozinhar, relaxar e acentuar o clima de verão. Arroz de camarão ao molho de leite de côco, chutney de manga e salada! Sauvignon Blanc gelado para acompanhar! Ficou bom!😋

Dirigindo Moisés (o talentoso Guilherme Winter) em cena mágica com a Arca da Aliança, em os Dez Mandamentos.
Sucesso de 2015. Record TV. Direção-geral de Alexandre Avancini.
Foto de Robson Sartori
@guiwinter @robson_sartori

Começando a semana gravando na mata🎬!
“Jesus”, 20:45hs. Record TV

Árvore de Natal🎄, ainda sem enfeites, está feliz pelo sol que estava sumido no Rio de Janeiro!

A lembrança de hoje vai para 2012, para a versão de Rebelde no Brasil com Mel Fronckowiak e Chay Suede estreando em novelas mais a presença da querida e talentosa Pérola Faria! (Perdoe a mão na frente, @perolafaria !
Direção geral de Ivan Zettel!
Record TV!

Nos estúdios da Record TV, dirigindo o colega Andre Gonçalves ao lado do talentoso diretor de corte, Coelho.
Novela Jesus, 20:45 hs
@andregoncalvesoficial01
Foto de @perri_lucas

A lembrança de hoje é a de um dia de gravação em Porto Alegre para a série de documentários “Futebol”, finalista do Emmy em 1998. Foto do arquivo do produtor Jean Robert. Curiosidade é o tamanho do celular do diretor de fotografia Flavio Zangrandi.
À direita, com a câmera, o Claudinho, que cuidou dela também no meu longa Anjos do Sol , e Rogerinho ao seu lado. Bons tempos de VideoFilmes!

Filmando na floresta!
Foto de Anderson Sergio, departamento de fotografia.
Record TV.

Filme da semana. Ontem assisti ao filme “Os Invisíveis “. Não, não se trata de um filme de Hollywood sobre heróis de histórias de gibi. É, na verdade, um filme alemão que conta a história de quatro sobreviventes do Holocausto da Segunda Guerra Mundial, revivendo, através de depoimentos e recriação dramatúrgica, como foram aqueles anos onde tantos absurdos se sucederam. Ao final, não há como deter as lágrimas. Todavia, a sensação inevitável de choro não é resultado de alívio ou de uma epifania ou de redenção do espectador. As lágrimas simplesmente nascem da constatação de como a humanidade pode ir ao fundo do poço, de como o preconceito, a ignorância e a violência, juntos, podem produzir tanta barbárie. Além das incontáveis mortes em campos de batalha, milhões foram assassinados em câmeras de gás simplesmente por serem diferentes e tudo começou com discursos virulentos e animosidades políticas. É importante este filme neste momento tão singular do país! Quem serão “Os invisíveis” de amanhã?

Café da manhã com Roberto Bomtempo, amigo de tantos anos e parceiro de trabalhos memoráveis, tais como Conselho Tutelar na Record TV. Está em cartaz no Shopping da Gávea com o espetáculo Pilar!
Com @miriam_freeland_oficial e grande elenco!

Belo filme. Sensível na abordagem, extremamente bem filmado e dirigido, “O Primeiro Homem” é uma pequena jóia cinematográfica!

Most Popular Instagram Hashtags