[PR] Gain and Get More Likes and Followers on Instagram.

enquantomeufilhodorme enquantomeufilhodorme

80 posts   20412 followers   2037 followings

Enquanto meu filho dorme  Enquanto meu filho dorme, eu me torno mãe. Hatanne, mãe do Guilherme 👶 ❤ Sobre maternidade, suas luzes e sombras. Belo Horizonte, MG

http://www.facebook.com/enquantomeufilhodorme

"Enquanto pais, somos responsáveis para que o vôo de nossos filhos seja sempre guiado por duas asas.
A asa da autoestima e do autoconhecimento e a asa do limite e do respeito às outras pessoas.
Qualquer vôo sustentado por apenas uma asa tende a falhar." .
Via @infanciapositiva

Né?! 😂😂😂 .
Via Tudo Sobre Minha Mãe
@tudosobreminhamae

VAMOS ENLOUQUECER AS MÃES...
(Cristiane Flores)

Vamos enlouquecer as mães...
Primeiro vamos contar para elas que a amamentação deve ser exclusiva até os 6 meses do bebê.Depois vamos definir que a licença maternidade é apenas até 4 meses.
Vamos enlouquecer as mães...
Vamos fazer com que saibam que é importante que a criança fique com a mãe nos primeiros anos de vida. Mas se ela decidir que ficará em casa, vamos perguntar todos os dias quando ela vai voltar a trabalhar.

Vamos enlouquecer as mães...
Vamos dizer que elas não podem desistir da carreira e do "seu lado mulher" por causa dos filhos. Mas quando seu filho ficar doente, vamos olhar com cara feia se ela precisar faltar ao trabalho.

Vamos enlouquecer as mães...
Mostrando fotos de artistas que voltaram a sua maravilhosa "forma" 13 segundos após o parto.
Vamos dizer que ela precisa manter uma alimentação incrivelmente saudável enquanto está amamentando (sendo que ela não tem tempo nem para comer uma pizza congelada). Vamos enlouquecer as mães...
Vamos nos certificar que saibam da importância de uma alimentação saudável e depois vamos encher as prateleiras do super mercado com os mais incríveis, baratos e coloridos produtos industrializados. Seu filho vai querer! Ele vai ver o mesmo produto na escola, vai ver propagandas na televisão, no rótulo do produto estará seu personagem preferido.
Se ela não der, ele vai chorar no mercado!
Ótimo!
A gente aproveita e a pune, ou pela "birra" do filho por não saber dizer "não". Vamos enlouquecer as mães...
Vamos divulgar coisas incríveis: "Quarto montessoriano", "Educação waldorf", "Colar de âmbar", "Fralda de pano", "Cama compartilhada", "Criação com apego", "Sling", "Introdução alimentar BLW"....
Sim! Tudo muito saudável!
Mas em algo ela vai falhar, vai se sentir culpada!
Impossível ela conseguir tudo e então... Vamos enlouquecer as mães... Vamos colocá-las uma contra as outras. Elas se sentirão sozinhas... No dia das mães, vamos chamá-las de mulher-maravilha, dizer que elas são incríveis e podem tudo, assim não precisaremos dividir a responsabilidade. (CONTINUA NOS COMENTÁRIOS)

Nossaaaaa põe no currículo dele!

Via @justrealmons

Nosso tempo é curto.
Precioso.
Valioso.
E passa.
Vamos construir nossas memórias com carinho, afeto, apego.
A casa espera
A roupa suja espera
O tempo, não.

.
AOS PAIS
.
No mês dos pais, gostaria de fazer um convite.

Pais, vocês abraçam essa causa por completo?

Ou depois que seu filho nasceu você virou um ajudante de mãe?

Você troca fralda (inclusive de cocô), põe pra arrotar, acorda de madrugada, leva no médico?

Se sim, que bom, você faz o básico e ainda continua no posto de ajudante.

Gostaria de convidá-lo a se transformar em PAI, assim, com letras maiúsculas.

Gostaria de convidá-lo a saber qual alimento sua companheira precisa evitar para não dar cólica no bebê, para substitui-lo por algo que ela possa comer e goste.

A saber qual fralda é melhor para a noite e quando é a hora de mudar de tamanho.

A lembrar datas das vacinas. E levar o filho para vacinar, quem sabe até sozinho.

A marcar o pediatra.

A marcar o dentista.

Quero convidá-lo a saber intercalar Dipirona com Paracetamol (entendedoras entenderão). A conhecer a introdução alimentar, qual fruta já pode dar? Quais legumes combinar? Pode misturar com arroz e feijão, pode dar ovo? Já toma suco?

Quero convidá-lo, moço, a fazer a lista do que falta na dispensa e ir comprar. Da marca certa, boa, sem perguntar.

A operar um lindo advento da modernidade chamado lavadora de roupas.

A saber os eventos infantis legais da cidade para passear com seu filho.

A saber de qual desenho ele gosta, qual o Super Heroi favorito.

A olhar a agenda da escola, arrumar a mochila, ir nas reuniões, questionar. Ir na apresentação de Dia dos Pais...pode também, é legal, mas isso é o bônus.

Te convido ao viver o ônus.

A ver se as peças de roupa estão pequenas. As calças de repente ficaram todas curtas....tá precisando comprar meia?

Tem aniversário do coleguinha. É menino ou menina, o que vamos dar de presente? Vamos juntos comprar?

Quem leva e busca na escola, quem falta ao trabalho se a criança adoece, quem sabe se a faxineira vai faltar...e, se faltar?

Quem resolve?

Meu Deus, eles realmente ainda acham que trocar fralda é um diferencial?

Pais, o mundo já tem muitos ajudantes de mãe.

SEJAM PAIS.

Parabéns aos que são, obrigada aos que tentam.

A mãe e a capa de invisibilidade
Às vezes a maternidade é invisível.

É feita, em grande parte, dos momentos que ninguém vê.

Das madrugadas em claro, dos sustos com as febres, do agito da hora do almoço, do escândalo para lavar o cabelo todo santo dia... Dos eventos cancelados, do aperto financeiro, daquela viagem que não deu pra fazer.

Ninguém vê. Ou às vezes vê, mas finge que não. Vai que tem que ajudar?

Mas a nossa credencial de boa (ou má) mãe vem daquela pequena parte de tempo que todo mundo vê.

Daquele uniforme manchado que você não teve tempo de esfregar, daquela batata frita fora de hora para você poder almoçar, do grito que você não conteve pois estava cansada demais.

O remédio esquecido, o dente sem escovar, o banho de lencinho umedecido, a birra no shopping, o homem do saco que vem pegar.

Isso todos enxergam, apontam e decretam: ela é estourada. Ela não se cuida. Vai traumatizar o menino. Ela está sempre nervosa. Ela mima demais essa criança.

É como se a “parte invisível” simplesmente não existisse. O que os olhos (dos outros) não vêem, o (nosso) coração sente sim.

Mas mãe, eu te enxergo.

Eu ouço seu choro contido, deixado para mais tarde

Eu entendo sua culpa eterna, mesmo ela não sendo sua

Eu caminho a mesma trilha na qual você passa todos os dias, cansada, perguntando se tudo de fato passa

E com medo de quando passar; do vazio que vai ficar.

Eu quero te dizer que é assim mesmo, que sua maternidade real, aquela que abdica todo dia de um pedacinho da própria vida em prol de outra, não é invisível.

VOCÊ A VÊ.

Você a vive e sente.
Você a constrói com cada gesto de dedicação que oferece aos filhos.

É você a protagonista dessa história.

Eu te enxergo e te peço que se enxergue também.

As opiniões e os julgamentos virão. Filtre-os de forma a absorver o que for bom e útil, pois sempre temos algo a aprender. E a maternidade é um curso intensivo e eterno de autoconhecimento.

Quanto ao resto, feche os olhos e tampe os ouvidos, não responda. Use a invisibilidade a seu favor.

Não foi o Pequeno Príncipe que disse que “o essencial é invisível aos olhos”? ...
Acho que ele estava certo

Adeque suas expectativas.
Aceite que algumas coisas são como são e não vale à pena uma luta em vão para muda-las.
Reconstrua-se.
Renasça quantas vezes forem necessárias.
Mude de opinião.
Admita seus preconceitos e lute para superá-los (TODOS temos algum).
Não coloque nos seus filhos expectativas de coisas que você não realizou.
Saiba a hora de parar.
Saiba a hora de recomeçar.
O certo é certo, mesmo que ninguém esteja vendo.
O errado é errado, mesmo que ninguém esteja vendo.
Converse com as pessoas. Em pleno século XXI me arrisco a dizer metade dos problemas do mundo se dão por falta de COMUNICAÇÃO.
Você é responsável pelo que você diz e TAMBÉM pelo que o outro entende. Palavras soltas são só isso: palavras soltas. Não formam uma mensagem.
Entenda que engolir alguns sapos faz parte do jogo. Apenas alguns.
Divirta-se. Pelo menos um pouco, pelo menos de vez em quando.
Compre coisas bonitas para você.
Não carregue nos ombros o peso do mundo. Divida a carga. Ela NUNCA é só sua.
Cultive as amizades. Dedique tempo à elas. Saia da zona de conforto, atravesse a cidade e vá ver uma amiga.
Você precisa de (bem) menos do que tem.
Reclame menos.
Doe mais.
Aproxime-se de Deus (seja Ele qual for para você).
Perceba e agradeça suas bênçãos.
Queira o bem, e o bem vem.

O descer das escadas todas as manhãs é um momento à parte do meu dia com o Gui.

São 3 lances onde sempre acontece muita coisa.

As vezes birra, às vezes corrida, pulinhos entre os degraus, pique pega, muita conversa.

Hoje ele estava cantor. Eu amo quando ele canta as musiquinhas das escola e sempre peço.

Hoje estava inspirado e cantando uma atrás da outra (tem dia que cisma e não sai nada). Tem uma linda do “boa tarde, como vai você?” que eu quero morder de tanta fofura!

Hoje ele saiu de casa cantando essa.

Nosso prédio é simples, mas entre alguns lances de escada há alguns vasos de planta.

Desceu um lance, parou. - Peraí mamãe, não déche! - Tá filho, não desço, o que foi? - Vou cantar para a plantinha.

Parou de frente para o vaso de planta (que é mais alto que ele) e cantou a música toda do boa tarde, que termina com a seguinte frase: “agora um abraço de coração”. E, sim, abraçou a plantinha. - Pronto, agora vamos.

Não vou negar, meus olhos marejaram.

Tem uma florzinha brotando no vaso.

Criança sabe mesmo das coisas.

A gente perde essa delicadeza, a gente acha que nem tem tempo para ela.

Tem sim.
Entre um lance e outro de escada, há tempo suficiente para transbordar um coração de amor.

Trace caminhos direcionados aos valores que você acredita

Vá na contra-mão do fluxo, ouse questionar os padrões

Criar um ser humano não é preparar uma criança “para o mercado”

É preparar para a VIDA

Sucesso é um conceito extremamente relativo “Chegar lá” é uma expressão completamente subjetiva

Onde é “lá”? O que tem de tão precioso?

E o que você deixa pelo caminho perseguindo um objetivo que às vezes nem é seu?

Estabeleça SEUS valores e trilhe caminhos que te lembrem todos os dias de quem você é e do que você valoriza

Trilho o meu com pezinhos descalços ao meu lado, o que faz com que eu demore um pouco mais; mas não estou com pressa.

As críticas virão de qualquer jeito;

O tempo vai passar de qualquer forma.

Aproveite o trajeto.

Most Popular Instagram Hashtags