chocolate_literario_ chocolate_literario_

102 posts   1,801 followers   1,146 followings

Chocolate Literário  👧| Sou a Luciele, 24 👩‍🎓| Pedagoga 🍫| Amo chocolate 📆| 02/01/2017 🌎| Imperatriz - Ma 📚| A abadia de Northanger

Oie pipols! Tudo jóia?! Como prometido hoje vim trazer mais um sorteio aqui do ig!

O prêmio vai ser o livro: A revolução dos bichos, de George Orwell, e marcadores sortidos.

Infelizmente, desta vez vai ser só um ganhador, mas é de coração ❤️ Então vamos lá as regrinhas básicas!😊
.
.
1° Seguir o Ig @chocolate_literario_
.

2° Marcar três amigos, quantas vezes quiserem! Mas nada de fake, lojas ou famosos, vou ficar de olho rsrsrs.

3° Residir no Brasil.

Aaa e o perfil tem que está desbloqueado para eu conferir se seguiu as regras direitinho❤️
.
.
Bom, o sorteio começa hoje 16/10 e vai até dia 16/11.

O prazo é de 15 dias para envio. O livro será enviado pela Saraiva ou Submarino, e o kit de marcadores será enviado por carta.

Assim sendo, não me responsabilizarei por quaisquer problemas que possa vir a acontecer.

E é isso! Que a sorte esteja sempre a seu favor!
☘️☘️☘️

Oi pipols, tudo jóia?! Hoje vim falar desse livro incrível! Espero que gostem!

O livro em si começa com um pequeno relato sobre o reino da Pérsia, e todos os conturbados eventos que levaram ao fim do mesmo, e assim dando origem a países como o Irã, Casaquistão, Afeganistão, entre outros. E consequentemente, a suas guerras, que perduram até os dias de hoje.

Em Persépolis conhecemos Marjane, que vai nos contar sobre seu país, Irã, e todas as transformações políticas e sociais que ocorreram por lá.
Aos 10 anos, Marjane testemunhou a revolução de 1979, que estabeleceu no Irã uma república Islâmica, com leis conservadoras baseadas na religião islâmica. Assim, muitos dos costumes ocidentais que eram bastante presentes na cultura iraniana, foram proibidos pelo novo regime.

Já nas primeiras páginas, Marji conta sobre o uso do véu, em como o uso dele se tornou obrigatório, não só na escola, mas em todo o país. E presenciou outras pequenas mudanças após a revolução, como o fato de que antes ela estudava em uma escola laica, e que meninos e meninas podiam estudar juntos, e de repente se viu em uma escola regida pelas doutrinas do islã, e separadas de seus amigos.

Durante toda a história, o que mais me impressionou foi a forma como ela pensava com relação as mudanças, sempre cheia de argumentos e opiniões próprias. E o seu questionamento maior, mesmo com o passar dos anos, sempre foi com relação as roupas das mulheres, e em como as mulheres passaram a ser tratadas em seu país, sempre sendo subjugadas, o que não difere de muitas outras sociedades espalhadas pelo mundo afora.

Para mim esse foi um dos pontos que mais me chamaram atenção na obra, a opressão sobre as mulheres, em como elas deviam ocultar os seus corpos pelo simples fato de não provocar os homens ao ponto deles ficarem excitados.
.
“Como é possível que eu, como mulher, não sinta nada ao ver esses homens torneados em todo canto mas eles, como homens, se excitem com meus 5 centímetros a menos de capuz?”
.
Enfim, não é um livro que fala apenas da vida de Marjane, é um livro sobre opressão, choque de culturas, transformações políticas, dualismo, amor fraternal, vida, dor, e superação.

#persepolis #irã #livros

Oie pipols, tudo jóia?! Então, hoje eu vim trazer para você minhas leituras de setembro.

Foi um mês bem corrido, mas cheio de grandes realizações e leituras maravilhosas.

Vamos lá!
.
- As vantagens de ser invisível. ⭐⭐⭐⭐
.
.
- O leão, a feiticeira e o guarda-roupa. ⭐⭐⭐⭐⭐
.
.
- Um pequeno milagre. ⭐⭐⭐⭐
.
.
- Persépolis. ⭐⭐⭐⭐⭐+❤️
.
.
E foram essas minhas leituras.
E aí, vcs já leram algum desses, ou ficaram na curiosidade para ler?! Conta aí!😊

Oiee pipols, tudo jóia?! Então, hoje eu vim trazer para vocês as minhas impressões sobre o livro As vantagens de ser invisível.
Sei que é um livro que foi publicado há 10 anos atrás, mas só agora tive a oportunidade de ler, enfim, vamos lá!

O livro é todo escrito em forma de cartas, o que achei bem interessante, já que não havia lido nenhum outro escrito desta forma, mas a única parte que me incomodou nesta forma de narrativa é que só vemos o lado dele da história e o que ele deseja contar ao destinatário, mas ao mesmo tempo achei interessante, porque dá para perceber o quanto ele foi melhorando na escrita e na forma de expressar seus sentimentos.

E é através dessas cartas que conhecemos um pouco da vida de Charlie, um adolescente de 15 anos, que perdeu recentemente seu único e melhor amigo, e que vive na sombra de um grande trauma de infância, que aos poucos ele vai revelando seus sentimentos com relação a isso, mas que na verdade se tornou uma surpresa enorme quando cheguei nas últimas páginas.

Mas a vida de Charlie muda completamente quando ele conhece os irmãos Patrick e Sam, que o acolhe em seu círculo de amizade, e a partir daí Charlie passa a ter experiências nunca experimentadas, passa a se sentir parte de algo, vivendo com mais intensidade, se divertindo, e conhecendo seus próprios sentimentos e pensamentos, mesmo eles sendo tão confusos as vezes.

Vou​ destacar aqui outro personagem que eu achei maravilhoso nessa história: Bill, o professor de Charlie, que enxergou nele um potencial enorme, mas que deveria ser bem trabalhado, e percebemos a influência dele na vida de Charlie nas próprias cartas escritas por ele, como no começo elas pareciam bem desconexas, mas que ao longo do tempo elas vão se tornando mais bem escrita, rica em detalhes e sentimentos.

Gostei dele também, porque o tempo todo ele mostrou que realmente se importava com Charlie, e que sempre que precisasse ele estaria ali por perto.

Enfim, foi um livro que me agradou bastante, tanto a história em si, quanto as inúmeras referências literárias e musicais, e o modo como o autor abordou temas como: suicídio, violência doméstica e preconceito. "Eu me sinto infinito"

" 'Dizem que Aslam está a caminho. Talvez já tenha chegado´, sussurrou o Castor.

Edmundo experimentou uma misteriosa sensação de horror. Pedro sentiu-se valente e vigoroso. Para Susana, foi como se uma música deliciosa tivesse enchido o ar. E Lúcia teve aquele mesmo sentimento que nos desperta a chegada do verão.

Assim, no coração da terra encantada de Nárnia, as crianças lançaram-se na mais excitante e mágica aventura que alguém já escreveu."
.
.
Oie pipols, tudo jóia?! É com essa frase que venho dizer que concluí o segundo livro de As crônicas de Nárnia.

Como eu já havia visto o filme um tanto de vezes, só digo uma coisa: o livro é incrível!!! A riqueza de detalhes, a descrição de cada personagem, o desenvolvimento da história, como as coisas vão se encaixando, tudo muito lindo e maravilhoso!

O livro em si é narrado em terceira pessoa e faz com que o leitor tenha uma visão e um entendimento mais amplo dos acontecimentos.

Aaaa e alguns conhecidos do primeiro livro estão presentes nesse livro, como falei na resenha de O sobrinho do mago.

Estou tão apaixonada por esse universo, que já estou ansiosa para o próximo.
.
.
"O mal será bem quando Aslam chegar, ao seu rugido, a dor fugirá, nos seus dentes, o inverno morrerá, na sua juba, a flor há de voltar."
.
.

Não vou me alongar falando deste livro, pq algumas partes não difere muito do filme. Mas vou deixar uns quotes bem legais aqui❤️
.
.
“Nárnia acontece. Quando menos esperarem, pode acontecer.”
.
. "É claro que um dia vocês voltarão a Nárnia. Quem é coroado rei em Nárnia, será sempre rei. Nárnia. Mas não tentem seguir o mesmo caminho duas vezes. Na verdade, vocês nem devem fazer coisa alguma para voltar a Nárnia. Nárnia acontece. Quando menos esperarem, pode acontecer." #ascronicasdenarnia #cslewis

Oie pipols, tudo jóia?! O post de hoje é para mostrar as minhas leituras do mês de agosto.

Confesso que foi o mês que eu li mais, principalmente porque tive uma semana de folga do trabalho e aproveitei bastante para ler.

E foram esses⤵️
.
.
- Mansfield Park – Jane Austen
.
.
- Amor por interesse – Ruth Cardello
.
.
- Travessuras da menina má – Mario Vargas Llosa
.
.
-Mistérios do prazer – Lynne Graham
.
.
- Doces ou travessuras – Giselle Souza .
.
.
- As cores do amor – Jull Evans
.
.
- Se você puder me ouvir – Sineia Rangel
.
.
- A casa de vidro – Anna Fagundes Martino

E foi isso aí pipols! E que Setembro seja repleto de leituras incríveis para todos nós!
.
. PS: na foto tem a lista dos meus livros preferidos do ano, até o momento. #books #agosto #janeausten

Oie pipols, tudo jóia?! Hoje eu vim trazer um post com um tema diferente, mas que precisa ser bastante discutido.
.
. “Nesse dia apanhei pela primeira vez e cometi o segundo erro: perdoei.”
.
.

Essa frase mexeu tanto comigo, mesmo saindo de uma história fictícia, nós sabemos o quanto ela é real no dia a dia de muitas mulheres.

Paola, a personagem do livro, pode até ter encontrado o seu final feliz em meio a toda violência que sofreu, mas infelizmente para outras mulheres a história não é a mesma.

De acordo com as estatísticas, o Brasil ocupa o 5º lugar entre os países mais violentos do mundo no que se refere à violência doméstica contra mulheres.

Cada dia mais denúncias relativas ao tema chegam à Justiça brasileira. Dados do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) apontam que o número chega a quase um milhão, sendo dez mil casos de feminicídio.

Aqui no Brasil, temos a Lei Maria da Penha, criada há 12 anos com o intuito de amparar mulheres que sofrem/sofreram violência doméstica.

Mas ela também se aplica em casos de:
.
.
– Sofrimento psicológico, como o isolamento da mulher, o constrangimento, a vigilância constante e o insulto;
.
.
– Violência sexual, como manter uma relação sexual não desejada por meio da força, forçar o casamento ou impedir que a mulher use de métodos contraceptivos;
.
.
– Violência patrimonial, entendido como a destruição ou subtração dos seus bens, recursos econômicos ou documentos pessoais.

E para finalizar, em briga de marido e mulher se mete a colher sim! E se possível denuncie!

Quantas mulheres teremos que perder para que algo seja feito?! Quantas vozes vão ter que se calar, para que outras sejam ouvidas?!
.
.
Disque 180.
#diganaoaviolenciadomestica #naoaofeminicidio #leimariadapenha #sorrisosquebrados #agostolilas

Oie pipols, tudo jóia!? Então, depois de um século venho trazer a resenha da crônica O sobrinho do mago, do projeto #lendonarnia

Se você assim como eu só viu os filmes, vai se surpreender lendo O Sobrinho do mago. Incrível é pouco para descrever meus sentimentos por ele. Principalmente por uma cena lá descrita, que é a criação de Nárnia.

Mas vamos ao começo de tudo caro leitor. Nesse livro conhecemos Digory e Polly, eles são vizinhos e vivem se metendo em aventuras, e em uma dessas façanhas, eles acabam descobrindo uma espécie de laboratório que pertence ao tio de Digory, mas são pegos por ele, e para tentar escapar dali, Polly acaba pegando um dos anéis que estavam dispostos em uma mesinha, e para surpresa de todos, a menina simplesmente desapareceu no ar!

Confuso e irritado Digory exige que seu tio a traga de volta, mas ele explica ao sobrinho que ela precisaria do outro anel de cor verde para voltar, e como ela não o havia pegado, portanto estava presa lá.

Então ele sugere que o rapazinho vá atrás da moca e a traga de volta, e é justamente isso que ele faz.
E a partir daí começa a aventura dos dois em um lugar extremamente calmo e misterioso, chamado de O bosque entre os dois mundos. E a curiosidade em explorar o lugar, acaba levando-os a outro mundo através de um lago, o mundo de Charn.
E é aí que começamos a conhecer sobre a origem da Feiticeira Branca.

Depois de muitas confusões, de irem ao seu mundo e voltarem novamente ao outro mundo, eles acabam entrando em um outro lago, que levou a todos: Digory, Polly, o tio, um cocheiro e seu cavalo e a feiticeira, há um novo mundo, um mundo vazia, que ainda não tinha sido criado.

E é lá, que para mim, foi o ponto alto da história. Uma música passa a ser ouvida por todos e eis que a vida passa a ser criada naquele mundo por um grande Leão.

Vi tantas alegorias ao velho testamento nessa passagem que fiquei tão encantada e emocionada.

Enfim, não vou falar muito para não dar spoillers, mas ao final do livro descobrimos o porque de alguns objetos serem mágicos, e que alguns elementos presentes em O Leão, a feiticeira e o guarda-roupa fazem muito mais sentidos.
#cslewis #ascronicasdenarnia

Oi pipols, tudo jóia!? Andei um pouco sumida, mas é pq eu estava tirando uma folguinha dessa loucura que é a vida, mas enfim, aproveitei essa folga para colocar minhas leituras em dia, e uma delas foi Mansfield Park, de Jane Austen.

Neste livro vamos conhecer Fanny Price, uma personagem tímida e frágil, que nasceu de uma família pobre, mas que fora adotada aos dez anos pelos tios ricos, e apesar de todo o conforto que Mansfield Park tem a oferecer, Fanny passa por poucas e boas, incluindo a humilhação e a constante lembrança de sua origem pobre por parte de sua tia Norris.

O livro é cheio de uma narrativa rica e envolvente, senti que houve mais fluidez na leitura deste livro do que nos outros, o que me fez por diversas vezes não querer parar de lê-lo.

Cada personagem é particularmente bem articulado e com suas características bem marcadas.

O modo como Austen construiu a identidade de cada um, e suas participações na trama é no mínimo interessantes, incluindo a própria Fanny, que no decorrer da história vemos seu amadurecimento, principalmente seus pensamentos com relação aos irmãos recém-chegados à Mansfield Park: Mary e Henry Crawford. É a partir daí que temos a possibilidade de conhecer o seu verdadeiro caráter, seu senso de justiça, valores e princípios, e apesar de sua aparência frágil, ela se mostrou por diversas vezes uma mulher forte e convicta em suas decisões.

Outra personagem que me chamou bastante atenção, foi Mary Crawford. O seu jeito de querer ser livre, de querer ter o direito de pensar por conta própria, duas coisas quase impossíveis na época, e que no decorrer da trama, Austen nos mostrou o quanto era difícil fugir das convenções sociais que ali eram vividas.

Enfim, adorei muito a leitura! Austen como sempre me surpreendeu trazendo uma personagem que meio que andou sobre a linha tênue da virtude e defeitos. Só tenho a lamentar pelo final, que achei um tanto quanto corrido e creio que podia ter sido mais bem desenvolvida, mas nos mais, super recomendo a leitura!

#janeausten #mansfieldpark

Oie pipols tudo jóia?! <<Arraste para o lado para ver mais detalhes da novidade>>
.
.

Há uns dias eu venho trazendo para vcs nos meus stories parte da grande novidade que a @editorawish estava preparando.

Pois bem, após o sucesso da trilogia “Contos de Fadas em suas versões originais”, que já está em sua sexta edição, a Editora Wish anunciou nesta segunda-feira o novo projeto: “Coleção Áurea – Especial Contos de Fadas”, que tem como proposta reunir os melhores contos de fadas de cada cultura em livros ilustrados, começando pela cultura Nórdica. .
.

Entre os contos selecionados, estão os já conhecidos “A Leste do Sol e Oeste da Lua” e “A noiva da Floresta”, mas a obra também traz títulos raros como o “A flor da Islândia”, “O monte élfico” e “A última morada dos gigantes”. .
.

O volume será composto por um total de 22 contos dos mais de 100 analisados pela Editora Wish; de Hans Andersen a Asbjørnsen, de Parker Fillmore a Helena Nyblom. “Áureo representa algo valioso, brilhante. Tudo o que essa coleção tem potencial para ser”, afirma a equipe editorial. .
.

A campanha de financiamento coletivo de “Os melhores contos de fadas Nórdicos” tem início no dia 9 de agosto, e deve durar cerca de dois meses.

O link está aberto para visualização das recompensas através do www.catarse.me/contosnordicos, e começa a receber apoios na quinta-feira. .
.

#editorawish
#contosnordicos #livros

Oie pipols, tudo jóia?! Então, hoje eu vim mostrar esse projeto incrível que a @dudabmenezes está fazendo lá no canal dela.

Eu já havia mostrado nos stories como seria feita as leituras do projeto, mas só agora consegui fazer um post decente.

Eu já finalizei a primeira crônica, que havia sido programada para o mês de julho, e logo terá post sobre​ ela, mas já adianto que eu AMEI!

Vou deixar aqui as leituras e os meses certinhos, e quem quiser participar pode ficar a vontade, que como as crônicas não são tão grandes dá para ler a de julho e de agosto juntas😊
.
📕Julho: O sobrinho do mago.
.
.
📕Agosto: O leão, a feiticeira e o guarda-roupa.
. .
📕 Setembro: O cavalo e o seu menino.
.
.
📕Outubro: Príncipe Caspian.
A viagem do peregrino da alvorada.
.
.
📕Novembro: A cadeira de prata.
.
.
📕Dezembro: A última batalha.

E é isso!

XOXO

#ascronicasdenarnia #cslewis #livros

Oie pipols! Tudo jóia?! Passando aqui só para falar um pouquinho das minhas leituras de julho.

Infelizmente não foi meu melhor mês, li muito, muito pouco, mas gostei bastante das leituras.
Que foram:
.
. - Além da Superfície - @dudarazzeraauthor
.
. - O Conto da Aia - Margaret Atwood
.
. - Baba Yaga e Vasilissa, a Bela - Conto - Disponibilizado pela @editorawish .
.
. - O Romance do pavão misterioso - Cordel - Livro do mês do clube de leituras da minha cidade.
.
.
- O sobrinho do mago - C.S.Lewis - projeto do ig da Duda Menezes

E foi isso! Rsrsrs

#ocontodaaia #alemdasuperficie #babayaga #oromancedopavaomisterioso #livros

Most Popular Instagram Hashtags