[PR] Gain and Get More Likes and Followers on Instagram.

carolinie_figueiredo carolinie_figueiredo

2455 posts   290917 followers   2525 followings

Carolinie Figueiredo  *Atriz *Mãe de Dois *Educadora Parental formada pela Positive Discipline *Terapeuta Thetahealer *Sessão via Skype só marcar: carolinie@gmail.com

https://programa.maternagemconsciente.com.br/vagas-abertas/

Um viva para as MULHERES que vieram antes e abriram caminho pra que HoJe a gente pudesse votar (e divorciar, e trabalhar, e se expressar). Quantas chamadas de radicais ? Quantas difamadas por subverter a ordem ? Força e sabedoria pra esse movimento que clama nossos direitos a vida e pertencimento! Via maravilhosa @deputadamanuela ・・・
Que seja por nossas vidas e por nossos direitos! 👊🏽❤️

Apropriação do próprio corpo: esse foi o tema que discuti pro canal da @garbindaiana . Parece redundante termos que nos educar a pertencer e assumir algo que é nosso por direito né ? Contei muito da minha história que envolve anfetaminas, dietas loucas, períodos de restrição total alternando com picos de engordar 30 kilos (em cada gravidez). Tenho pensado como é revolucionário aceitar o próprio corpo. A sociedade te incita a consumir cada vez mais na tentativa de suprir os vazios, projetando a felicidade na indústria da beleza. Se eu pego esse gatilho de me sentir errada, desajustada, imperfeita, torta (preencha aquilo que você diz sobre você que te coloca pra baixo)... se eu pego esse gatilho estou novamente na roda de consumir coisas e pessoas externas pra me fazer feliz. Aceitar o próprio corpo é revolucionário é libertador! E é um processo diário de acolher e abraçar cada parte de mim. Você já passou por isso? Começou essa transição de aceitação no aqui e agora? Agradeço o espaço @garbindaiana , seu trabalho é inspirador ! E como você é estonteantemente bonita ainda mais pessoalmente 🍀

Apropriação do próprio corpo: esse foi o tema que discuti pro canal da @garbindaiana . Parece redundante termos que nos educar a pertencer e assumir algo que é nosso por direito né ? Contei muito da minha história que envolve anfetaminas, dietas loucas, períodos de restrição total alternando com picos de engordar 30 kilos (em cada gravidez). Tenho pensado como é revolucionário aceitar o próprio corpo. A sociedade te incita a consumir cada vez mais na tentativa de suprir os vazios, projetando a felicidade na indústria da beleza. Se eu pego esse gatilho de me sentir errada, desajustada, imperfeita, torta (preencha aquilo que você diz sobre você que te coloca pra baixo)... se eu pego esse gatilho estou novamente na roda de consumir coisas e pessoas externas pra me fazer feliz. Aceitar o próprio corpo é revolucionário é libertador! E é um processo diário de acolher e abraçar cada parte de mim. Você já passou por isso? Começou essa transição de aceitação no aqui e agora?

Expandir o espaço interno mesmo entre 4 paredes. (E com chuva). 📸 @carolina_raposo_

Essa semana eu me envolvi numa polêmica em relação a lugar de fala / feminismo. Eu tenho refletido muito sobre quem eu sou e quais crenças eu sustento sobre ser mulher.
.
Sempre que me posiciono colocando minha desconstrução recebo os feedbacks de ser agressiva, raivosa, radical. Tenho estudado como a Raiva também é uma força transformadora, revolucionária e como ela também pode ser usada pra o bem maior canalizando mudanças profundas.
.
Relembro que o que também sustenta o machismo é manter o feminino num lugar de docilidade, amabilidade, aceitação, receptáculo de tudo que acontece e silenciamento de suas histórias (ás vezes gerações inteiras repetindo esses padrões).
.
Sei que meu período pré menstrual me convida a acolher minha raiva, meu inconformismo, minha perplexidade. Porque nesse período vem à tona tudo aquilo que suprimi, escondi e joguei pra debaixo do tapete. Porque durante os outros dias sou extremamente grata, querida, boa, pacífica, dócil e fujo de tretas. .
Queria lembrar que a etimologia da palavra Radical é raiz, origem. Ao invés de desqualificar o posicionamento e o ativismo de outra mulher, eu posso reconhecer que o machismo afeta nossa história pessoal de maneiras diferentes. Pelo meu histórico familiar e pelas minhas relações, esses assuntos me afetam de uma maneira diferente das que estão mais distantes dessa realidade ou que ainda não perceberam a reprodução do machismo dentro da própria casa. Algumas mulheres estão mais treinadas e reconhecem a reprodução do machismo de um lugar estrutural. Menos na superfície e mais na raiz da profundidade da questão. Ou quando ele é velado, escamoteado. Por isso a representação / luta é por mim, pelas que vieram antes e por todas que virão depois e ainda encontrarem patamares diferentes entre os gêneros. Violência, abuso, agressão e violações dos corpo da mulher e dos seus direitos. Feminismo não é oposto do machismo. O machismo sobrepõe o homem a mulher. O feminismo luta pela igualdade, ou equanimidade.
.
E eu sigo aprendendo a gerenciar minha força propulsora transformadora que as vezes se apresenta através da raiva. Curando e perdoando a mim mesma por ainda recriar esses aspectos na minha vida.

Me formar como educadora parental nasceu da necessidade de ter mais leveza, alegria e assertividade na minha maternidade. Hoje gravei com a grávida que eu amo @maribridicardoso para o canal dela. Falamos sobre um dos assuntos que eu mais amo - educar filhos livre de gritos, ameaças, punições, recompensas ou comparações!!!! Fui mãe muito nova aos 21 e novamente aos 23 antes de me preparar estruturalmente e emocionalmente pra educar. Passava os dias frustrada, gritando pra conseguir obediência, ministrando disputas de poder e atenção. Hoje com as crianças mais crescidas começo a colher os frutos dos últimos anos de dedicação, reajustes e ressignificação de um projeto de vida. Sei que me formei como educadora parental pra oferecer novas oportunidades e repertórios pra criança que fui e também pra relação comigo mesma (quanto tenho me punido, me colocado pra baixo, me podado ou desencorajado diante de um desafio). Agradeço o espaço e o incentivo de sempre @maribridicardoso sua família é linda e sua casa reflete sua energia contagiante de pura luz! Te amo!!! 📸 @gleidson_andrade_

Dia de Gravar para o canal da @maribridicardoso . Saia linda que amo @naveen.online . Em breve mando o link do vídeo a você!! 🍀💜🍀 foto @gleidson_andrade_

Dia de gravar pro canal dessa maravilha sagitariana chamada @maribridicardoso . Amiga de alma, de busca, sou encantada com você e sua família !!!! Falo de Disciplina Positiva ou Maternidade Mãe de dois ???? Em breve nosso vídeo! E se inscrevam no canal dela lá no perfil dela!! 💗

Essa semana o perfil @feministasgm Denunciou o ABSURDO que é chamar um HOMEM pra palestrar no DIA DAS MULHERES. O convidado @piangers cancelou sua participação no evento após MUITA mobilização e articulação especialmente no meu facebook pessoal. Foi a atitude mais coerente porque em pleno 2018 não vamos tolerar mais silenciamento, repressão e homens explicando como devemos fazer / falar / agir como mulheres ou mulheres mães. Comemorar o dia da mulher sem protagonismo feminino é reproduzir machismo. É silenciar, roubar lugar de fala. Segue o texto da MARAVILHOSA @ligiamsena "Há anos que a gente vem falando sobre apropriação do que mulheres mães vêm escrevendo, falando, lutando, se mobilizando. Não são as mulheres mães a imensa maioria das cuidadoras de crianças, muitas vezes de maneira compulsória? São. Não somos muitas vezes consideradas como meras reprodutoras e cuidadoras? Somos. Então a gente luta para que sejamos vistas como seres humanos, lutamos por nossas liberdades individuais e pelo direito de autodeterminação... Lutamos na esfera da política pública, do privado, do coletivo, damos a cara a bater. Nós nos mobilizamos e bradamos e a coletividade faz o que? Nos invisibiliza, nos minimiza, nos chama de mãezinhas, ou de loucas radicais. Mas experimente colocar um homem pra falar exatamente sobre o que a gente vem falando há anos: a sociedade vibra, aplaude, chama de digno, de modelo, de incrível, de "homão”. A gente não pode (...) ficar contemporizando o roubo do protagonismo, qualquer que seja a justificativa. Os caras podem estar falando coisas super justas e pertinentes? Podem. E nem por isso é justificável dar o protagonismo a quem, na representação social coletiva, não o tem. É preciso estar junto? É. Mas isso não significa protagonizar. Afinal, que novidade haveria nisso?! Sempre foi assim, homens recebendo os louros de um trabalho que vem sendo feito há anos por mulheres. Queremos mudar as estruturas? (...) Homens são extremamente necessários nesse processo dreestruturação. Mas especialmente quando falam sobre combate ao machismo, não quando reproduzem o machismo estrutural'. Texto @ligiamsena

Vamos falar sobre lugar de fala? Porque no DIA DA MULHER chamam um homem pra falar sobre "como lidar com seus filhos com humor e criatividade?" Não gente... Tá tudo errado. Vamos chamar a mulher dele, a mãe, as MULHERES, PELO MENOS (no mínimo) no DIA da MULHER. Comemorar o dia da mulher sem protagonismo feminino e sem lugar de fala é reproduzir machismo. É silenciar. É dar invisibilidade e chamar um homem pra trazer a voz! Todo respeito ao trabalho dele mas LUGAR de FALA e PROTAGONISMO feminino serão pautas por aqui em 2018. Aceitem! #Repost @feministasgm with @get_repost
・・・
Para celebrar o dia internacional da mulher irão convidar... um HOMEM! Lugar de fala pra que né, migs? TANTA mãe influente por aí realizando um trabalho foda, posso citar a @carolinie_figueiredo com seu trabalho em disciplina positiva, @sfelippo com o empoderamento e aceitação dos cachos de suas filhas através do @muitoalemdecachos (pensei apenas por um segundo e já me lembrei de duas, imagina se pensasse mais um pouco). Quantas mães você conhece que fariam uma palestra falando com propriedade e domínio sobre aprender com os filhos e ensinar também? Mas não... vão comemorar o dia internacional da mulher prestigiando um homem. #MarqueUmaMãe #MarqueUmaMulher #LugarDeFala #ProtagonismoFeminino

Ano passado eu dobrei meu ego gigante que ainda relacionava sucesso e projeção com a minha carreira de atriz. Eu abri espaço pra manifestar algo que está no meu caminho desde sempre mas que eu fugia por puro medo e aceitação: trabalhar com a (auto)consciência, me assumir socialmente como terapeuta. .
O que você pensa sobre a vida, a maternidade, trabalho, sobre ser mulher ou sobre as relações ?
.
Quais suas escolhas são fruto de consciência e presença e quais são repetição de padrões automáticos ?
.
O que te impede de manifestar a vida que gostaria de ter e Quais são suas crenças/ pensamentos (mesmo que inconscientes) que te impedem de viver em conexão com a fonte criadora ?
.
O Thetahealing é um mergulho profundo em direção à sua essência. Limpando e curando o que está pronto pra sair do seu sistema. Relembrando o caminho da pura luz. .
Venha fazer uma sessão comigo via Skype. Para informações sobre a cura energética, os valores e agendas me escreve: carolinie@gmail.com
.
Pode marcar alguém que se interessa por esse tema ? 🌹🔴💃🏻

Amo e Aceito meu Peito. Via @feministasgm ・・・
“A cada comentário sobre os peitos da Marquezine, eu fico um pouquinho mais chocada com o quão nada familiarizados com peitos vocês são.
Tá mais do que na hora de esfregarmos nossos peitos caídos, separados, flácidos e NATURAIS na cara da sociedade. Silicone é uma escolha e não uma obrigação, parece louco ter que remarcar isso né?” 📷🌵 instagr.am/sahrhrcy
💻🌵https://goo.gl/nPqC4V

Most Popular Instagram Hashtags